Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

PAIVAJORNALISTA

Esse blog tem uma finalidade muito importante, isto é, levar aos conhecimentos dos leitores e amigos os mais diversos assuntos relacionados com o nosso dia a dia. Crônicas, Artigos, Poemas, Poesias, Atualidades, Política entre outros.



Terça-feira, 26.11.13

O QUE ESCREVEMOS DE MAIS BELO COM A LETRA A

 

AMIZADE UMA BÊNÇÃO

 

 O QUE ESCREVEMOS DE MAIS BELO COM A LETRA A

 

“Buscando a luz, não amaldiçoe a sombra. O bem pede doação total para que se realize no mundo o bem de todos. Serve onde estiveres e como puderes, nos moldes da consciência tranquila.” (Emmanuel).

 

 

 

A letra A é a primeira vogal da língua portuguesa. Poderíamos escrever muitos e belos nomes com ela, tais como: amor, amizade, amplexo, amparo, amplitude, afinidade, bem como alguns que nos causam preocupações, ou seja, ansiedade, amargo, ardiloso, apedrejar, assassinar, acusar entre outros. Para iniciarmos queríamos fazer uma conotação fraseada com a letra epigrafada: “Ampara os que te asseguram o bem-estar, pois a vida não te reclama atitudes sensacionais, gestos impraticáveis, espetáculos de súbita grandeza... Pede simplesmente sejas sempre melhor para aqueles que te cruzem os passos.” (Grifo nosso). Palavras cultas ou sentenças maravilhosas, poesias, poemas, contos, acrósticos começando com a letra (A) tornariam o ambiente mais belo, a psicosfera mais iluminada e, o companheirismo mais saudável. “Amor com amor se paga”, um velho jargão, ou um clichê popular muito usado nos dias atuais, mas que não sai de moda e não incomoda.  

 

 

“Alguém projetou o fel da calúnia sobre o teu nome? Esquece e caminha. Muitas vezes, o coração do amigo é ainda frágil e cede ao primeiro impulso da arrasadora ventania do mal”. A cruz das provações é caminho para o alto. A letra (A) se mistura nesse contexto em belas e penosas palavras. Ela está na vida, no amor, na caridade, no perdão, na amizade, na fraternidade e em outras esplêndidas alusões. Lendo certo livro encontramos ou nos deparamos com algumas palavras começadas com a letra (a) que nos chamaram a atenção. Como curiosos que somos, procuramos averiguar a sua importância dentro da língua portuguesa e se as mesmas eram do conhecimento popular. Alvedrio um substantivo masculino que muitos dicionários não trazem o significado, no entanto, temos a dizer que se trata da vontade própria e livre-arbítrio, sendo uma derivação do verbo alvitrar.


Amiúde tem como sinonímia repetidas vezes, frequentemente, tornar miúdo. Um advérbio derivado de amiudar e amiudado. Muitas palavras da língua portuguesa são oriundas do latim e o tornar miúdo nasceu de a+minuta {latim} =diminuída. Muita gente é contra o uso das palavras cultas ou rebuscadas como queiram, porém o uso delas não pode ser dispensado, mas não exagerado. Continuando por caminhos gramaticais nos deparamos com a terminologia-antropofágica, um adjetivo que significa aquele que come carne humana ou relativa à canibal. Derivação das palavras: antropófago e antropologia. Vale ressaltar que algumas tribos indígenas brasileiras eram antropófagas, principalmente no período do Brasil Colonial.

 

 

Arguto – Um adjetivo derivado de argúcia e argucioso. Finura de observação; raciocino sutil, espirituoso, esperto, engenhoso, sutil, perspicaz, de espírito vivo. Origem latina = engenhoso. O Espírito humano é composto de substância sutil que se torna imperceptível aos olhos humanos. Arrazoado – Pode ser substantivo ou adjetivo. Derivado de arrazoar, arrazoamento. Defesa oral ou escrita, razoado, razões, acertado, justo. Vem do latim racione = raciocínio. Armistício – é um substantivo masculino. Origem: armistitium (latim) = armas+stare (latim) = suspender, parar+sufixo ício. Tem como sinonímia: Cessar-fogo, trégua de curta duração; suspensão temporária da guerra. As autoridades mundiais pediram a suspensão temporária da guerra entre Israel e Palestina.

 

 

Poderíamos escrever inúmeras palavras com a letra (a) e tornar longa essa matéria, no entanto, vamos citar mais algumas palavras começadas por A e seus significados. Arrufo – Um substantivo masculino que significa irritação, ressentimento passageiro de origem obscura. Derivação de arrufar, rufião, rufiar e rufio. As grandes discussões provocadas por acidentes no trânsito tem início em pequenos arrufos entre os envolvidos. Asco – enjoo, fastio, náusea, nojo, repugnância, aversão, desprezo, rancor, Classe gramatical: substantivo masculino. Origem: ascharosu {latim} = escara (tipo de casca de ferimento que enoja). As pessoas doentes que não podem se locomover em seus leitos se não forem bem cuidadas poderão adquirir esse tipo de ferimento doloroso e que maltrata o ser humano acamado. “Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a ti mesmo”, uma linda frase atribuída ao Mestre Jesus que marcou o sentimento da humanidade. Não é à toa que tentamos realizar essa proeza de colocar a letra (a) num patamar digno de nota, para os amigos que adoram conviver com a intelectualidade e o saber. A palavra cifrada é um adjetivo de dois gêneros e de dois números. Sem importância, impensável, inútil insignificante, fácil. Vem de atoada e atoar e de origem latina: à + tow {inglês} = reboque. E não é à toa que nosso nome escolhido na pia batismal começa também por (a) de Antonio.

 

 

Vamos citar algumas palavras começadas pela letra (a), no entanto deixaremos para estudo de nossos leitores, que com certeza farão de maneira útil e agradável. Autocrático; auspício; atroz; autômato; azo; aviltar; autofagia; albergar; aspectada; anomalia; arreglada; avoenga; adornada; alijar; agastar; antropomorfizar; apologia; Albornoz; aguilhão; acicatados; aferir; apologizar; acoplar; apregoada; apriorísticos; alocução, amoedados. Entre estas palavras algumas são do conhecimento de muita gente e não são difíceis de encontrar suas sinonímias. As palavras podem dentro do possível ter gestações diferenciadas dos seres humanos. Mas, no entanto, podemos construir belas crônicas, bonitos contos, poesias, poemas, novelas, dramas, filmes, trovas, cordéis entre outros.

 

 

 

Para finalizar queríamos citar ou colocar algumas construções que fizemos durante a nossa vida de escritor, poeta, jornalista para análise dos leitores de plantão, criticando ou elogiando se as inserções merecem tais adjetivos. A Rosa dos Meus Sonhos: Somos botões viçosos de espinheirais fortuitos, não nascemos com destino gratuito, precisamos regar adubar e melhorar nosso jardim, nosso coração, enfim de rosas, papoulas e jasmins. O Céu no seu esplendor tem querubins Serafins, operários da luz, nos traduzem amor, fraternidade, caridade, reluze nossos corações, ante a luz da prece nos levam ao amor e ao perdão que fenecem, as agruras da vida, perdida, esquecida, reduzem problemas, sofrimentos, num ato de fé.


Crescer, elevar, destinar é a sina da retina, qual menina na esperança de uma vida triunfal isenta do mal, permeada de bem, vai mais além sem desdém, com alegria, sem exigência, mas com clemência, precisamos servir sem desanimar. É esperar, destinar, doar e imantar, amor com fervor. A evolução caminha na pauta dos séculos, na luz do conhecimento, nas linhas sinuosas, nas féculas do alimento carnal, na ajuda aos semelhantes, esperas, as emanações do mundo em processo de renovação.

 

 

 

Não nos arrependeremos de ajudar e clamar por gratidão. Doar, aprender com amor e semente de oração, os problemas são reduzidos, porém a conservação apaga o sorriso e traz alaridos sem conotações. Esperemos com fulgor a jornada evolutiva, prometida pela instrutora divina que caminha de passo a passo sem embaraços, o amor vence a morte. No anseio de nossos semelhantes, somos brilhantes cristianizados, esperados, por nós mesmos com afeição de fazermos melhor. Não tenha dó e sim alegrias, nas noites frias sem angústias com astúcia, desprendimento, alento e sem desespero. Tiremos o argueiro de nossa visão, a saudade é anseio, se não existisse à noite esqueceríamos o esplendor do dia. Com referência, alicerces demandam segurança e esperanças de dias melhores, com paz, amor e reverência sem violência.

 

 

 

Filhos amados perdoar é crescer, amar é verter luz, de esperanças, de dias melhores, onde irmão ama irmão, amar, doar, trabalhar, aprender e servir é o porvir. De uma vida nova, as palavras cantam melodias magistrais. Nós imperfeitos, em marcha e contramarchas na introspecção, de nossos corações que são verdadeiras rosas, joias aquilatadas na amplidão do bem que convém do amor que aniquila o mal, Na esperança da bonança de um caminho fechado, abre-se outro. O caminho do amor, do perdão, da paz, da caridade e sem vaidade vamos assoberbar os ensinamentos do Senhor que nos ensinou o bem sem olhar a quem. Somos o cadinho e não os escaninhos somos obreiros da paz e do amor que Cristo nos ensinou. O coração é a válvula propulsora da paz e da não violência, vencemo-la com benemerência divina que Deus nos destina para a nossa própria elevação. O amor corre em nossas veias, tirar vidas alheias jamais. Somos eternos aprendizes do amor e da paz. Pense nisso!

 

 

 

ANTONIO PAIVA RODRIGUES-MEMBRO DA ACI- DA ACE- DA UBT- DA AVSPE- DO PORTAL CEN- DA AOUVIRCE E DA ALOMERCE


Autoria e outros dados (tags, etc)

por paivajornalista@blogs.sapo.pt às 02:13


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Novembro 2013

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930