Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

PAIVAJORNALISTA

Esse blog tem uma finalidade muito importante, isto é, levar aos conhecimentos dos leitores e amigos os mais diversos assuntos relacionados com o nosso dia a dia. Crônicas, Artigos, Poemas, Poesias, Atualidades, Política entre outros.



Sexta-feira, 17.02.12

ORIGEM DO CARNAVAL


ORIGEM DO CARNAVAL

Das festas populares do Brasil, o Carnaval é, sem dúvidas, a mais grandiosa delas e uma das poucas manifestações folclóricas que ainda sobrevivem e conseguem envolver o grande público. A história do Carnaval começa há mais de quatro mil anos antes de Cristo, com festas promovidas no antigo Egito, como as festas de culto a Ísis. Eram principalmente eventos relacionados a acontecimentos religiosos e rituais agrários na época da colheita de grandes safras. Desde essa época as pessoas já pintavam os rostos, dançavam e bebiam. Há também indícios que o Carnaval tem origem em festas pagãs e rituais de orgia. Em Roma, as raízes deste acontecimento estão ligadas a danças em homenagem ao Deus Pã e Baco, eram as chamadas Lupercais e Bacanais ou Dionisíacas.

Com o advento da Era Cristã, a Igreja começou a tentar conter os excessos do povo nestas festas pagãs. Uma solução foi à inclusão do período momesco no calendário religioso. Antecedendo a Quaresma, o Carnaval ficou sendo uma festa que termina em penitência na quarta feira de cinzas. Os cristãos costumavam iniciar as comemorações do Carnaval na época de Natal, Ano Novo e festa de Reis. Mas estas se acentuavam no período que antecedia a Terça-feira Gorda, chamada assim porque era o último dia em que os cristãos comiam carne antes do jejum da quaresma, no qual também havia, tradicionalmente, a abstinência de sexo e até mesmo das diversões, como circo, teatro ou festas.

No Corso, os carros abertos desfilavam nas principais ruas das grandes cidades De acordo com o calendário gregoriano, utilizado oficialmente na maior parte do mundo, o Carnaval é uma festa móvel porque é indicado pelo domingo de Páscoa, também uma data comemorativa móvel para que não coincida com a páscoa dos judeus. Para saber em que dia cairão as duas festas determinam-se primeiro o equinócio da Primavera (no Brasil é Outono). Não se pode esquecer que o calendário segue as estações do ano de acordo com o hemisfério norte, onde foi criado. O primeiro domingo após a lua cheia posterior ao equinócio da primavera é o domingo de Páscoa. Face a essa regra, o domingo de carnaval cairá sempre no 7º domingo que antecede à Páscoa. A quaresma tem início na quarta feira de cinzas e como o próprio nome diz, tem duração de 40 dias.

A origem do carnaval é incerta; parece ligada remotamente a alguma comemoração pagã pela passagem do ano ou a chegada da primavera, ou ainda a festa de comemoração do tempo das colheitas. É possível que se origine das festas da Roma antiga. Considera-se o carnaval uma festa caracteristicamente italiana, pois todo seu desenvolvimento está ligado à Itália (Roma, Florença, Turim e Veneza). Roma foi o maior centro de difusão, pois era lá que aconteciam os famosos desfiles de corso. O carnaval tem sido muito importante para a evolução do teatro popular, o cancioneiro e danças folclóricas.

Carnaval no Brasil

A mais popular festa brasileira é uma mistura de tradições europeias adaptadas a um país tropical e uma sociedade com uma grande presença de descendentes africanos. O carnaval de clubes reflete os bailes de máscaras de muitos séculos atrás; as escolas de samba, os desfiles de carros alegóricos da Europa e a música de rua mostram a influência africana; e finalmente o entrudo, que é uma festa portuguesa onde pessoas lançavam água, pó e outras substâncias em seus amigos. Estes quatro aspectos deram ao carnaval brasileiro um aspecto único que atrai turistas do mundo inteiro.

O uso das máscaras

A primeira máscara data de 30.000 anos A.C. e era fabricada e ornamentada para ser usada em celebrações, cultos e rituais de povos primitivos. No Egito Antigo, o povo acreditava que para ajudar na passagem para a vida eterna tinha que se colocar uma máscara na face dos mortos. Na China, as máscaras eram usadas para afastar os maus espíritos. Os Gregos usavam as máscaras em cerimônias religiosas. O teatro oriental, desde o início do século XX, usa a máscara como parte do figurino de suas peças. O teatro ocidental, por muito tempo, fez uso das máscaras que traduziam as expressões de alegria e de tristeza, representando os sentimentos do personagem de um rei, de um guerreiro, entre outros.

Na Itália, os "bobos da corte", artistas do riso, transformaram-se em Arlequim, Pulcinella, Pierrot e Colombina, personagens que inspiraram o carnaval de Veneza. As máscaras, misticamente falando, têm o poder de revelar ou ocultar sentimentos. Na necessidade do homem de se embelezar e de se transformar em outra identidade, surge em Veneza, no século XV, o primeiro baile de máscaras, "Ball Masquê", onde o uso da máscara também se fazia necessário devido a constantes conflitos políticos. Os Cortesãos mascarados faziam brincadeiras, confiantes no anonimato, extravasando todos os seus impulsos reprimidos, libertando-os das normas sociais. Em Veneza, as máscaras também se tornaram peças decorativas, transformando-se em principal atividade econômica para a região.

O carnaval, na origem era uma festa pagã. Mas o interessante é que acontece durante três dias, antes de uma data cristã muito religiosa, a quarta-feira de cinzas, primeiro dia de um período chamado Quaresma, que termina com a Páscoa, celebração da ressurreição de Cristo. O carnaval é considerado uma das festas populares mais animadas e representativas do mundo. Tem sua origem no entrudo português, onde, no passado, as pessoas jogavam uma nas outras, água, ovos e farinha. O entrudo acontecia num período anterior à quaresma e, portanto, tinha um significado ligado à liberdade. Este sentido permanece até os dias de hoje no carnaval. De origem europeia o carnaval chegou ao Brasil através dos portugueses com o nome de entrudo. Aportou por cá, por volta do século XVII e foi influenciado pelas festas carnaval escas que aconteciam na Europa.

Em países como Itália e França, o carnaval ocorria em formas de desfiles urbanos, onde os carnavais escos usavam máscaras e fantasias. Personagens como a colombina, o pierrô e o Rei Momo também foram incorporados ao carnaval brasileiro, embora sejam de origem europeia. Dizer que o carnaval é uma festa genuinamente brasileira é desconhecer fatos e datas históricas. Porém, um detalhe tem que ser dito quando essa festa aqui fincou pé, era uma festa mais calma, onde as pessoas desfilavam em carros abertos (Corso), e as músicas tinham uma forma alegre e saudosista, que agradavam a todos na época momina.

O corpo era símbolo de respeito humano e os foliões brincavam de forma ordeira e os bailes eram verdadeiros desfiles a fantasia e músicas, compostas somente para esse tipo de festa popular. O que torna a festa carnaval esca diferente é a influência da cultura na festa carnaval esca, por isso é uma festa rica em detalhes. O carnaval é considerado uma das festas populares mais animadas e representativas do mundo. Tem sua origem no entrudo português, onde, no passado, as pessoas jogavam uma nas outras, água, ovos e farinha. Aqui essa tradição perdura, principalmente no Nordeste, mas com outro nome, O mela-mela. O entrudo acontecia num período anterior à quaresma e, portanto, tinha um significado ligado à liberdade. Este sentido permanece até os dias de hoje no carnaval.

O entrudo chegou ao Brasil por volta do século XVII e foi influenciado pelas festas carnaval escas que aconteciam na Europa. Em países como Itália e França, o carnaval ocorria em formas de desfiles urbanos. Não havia essa cultura espalhafatosa de mostrar o corpo seminu e em algumas ocasiões às mulheres desfilavam nuas, totalmente nuas, somente com um pequeno apetrecho, cobrindo a parte mais íntima de seu corpo. No Brasil, no final do século XIX, começam a aparecer os primeiros blocos carnaval escos, cordões e os famosos "corsos". Estes últimos tornaram-se mais populares no começo dos séculos XX.

As pessoas se fantasiavam, decoravam seus carros e, em grupos, desfilavam pelas ruas das cidades. Está ai a origem dos carros alegóricos, típicos das escolas de samba atuais. No século XX o carnaval foi crescendo e tornando-se cada vez mais uma festa popular.
Esse crescimento ocorreu com a ajuda das marchinhas carnaval escas. As músicas deixavam o carnaval cada vez mais animado. A primeira escola de samba surgiu no Rio de Janeiro Deixa Falar foi - criada pelo sambista carioca chamado Ismael Silva. Anos mais tarde a Deixa Falar transformou-se na escola de samba Estácio de Sá.

A partir dai o carnaval de rua começa a ganhar um novo formato. Começam a surgir novas escolas de samba no Rio de Janeiro e em São Paulo. Organizadas em Ligas de Escolas de Samba, começam os primeiros campeonatos para verificar qual escola de samba era mais bonita e animada. O carnaval de rua manteve suas tradições originais na região Nordeste do Brasil. Em cidades como Recife e Olinda, as pessoas saem às ruas durante o carnaval no ritmo do frevo e no Ceará a cultura do maracatu. Na cidade de Salvador, existem os trios elétricos, embalados por músicas dançantes de cantores e grupos típicos da região. Na cidade destacam-se também os blocos negros como o Olodum e o Ileyaê, além dos blocos de rua e do Afoxé Filhos de Gandhi. Por acaso você saberia definir a palavra Entrudo?

O entrudo é antigo jogo carnaval esco de origem ibérica que os portugueses trouxeram para o Brasil no século XVI, que, aliás, seguiu sendo praticado em Portugal até o final do século XIX. A brincadeira consistia em lançar nas pessoas água, líquidos diversos, farinha e outras substâncias. No Rio existiu até a primeira década do século XX, mas em outras partes do Brasil sobrevive até os dias de hoje. Nós mesmos já participamos desta brincadeira no Recife, onde é conhecida por mela-mela. As grandes sociedades foram projetadas para ocupar e pautar as celebrações do carnaval carioca, até então dominado pelo entrudo, pelo recém-inventado Zé Pereira, por mascaradas e cucumbis. Formadas por grupos da elite que viviam na capital do país, as grandes sociedades buscaram e deram, até certo ponto, uma nova aparência e conteúdo para o carnaval do Rio de Janeiro. A pobreza, o arcaísmo e a grosseria característicos do carnaval popular, principalmente do entrudo e do Zé Pereira, predominam. O que era para se tornar uma festa alegre com a predominância da alegria, do entretenimento infelizmente nos dias de hoje é um verdadeiro campo de concentração onde através da irresponsabilidade de alguns, o que era para se tornar uma festa alegre, ao final termina em verdadeira tragédia.

ANTONIO PAIVA RODRIGUES-MEMBRO DA ACI E ALOMERCE- DA ACE- DA UBT- DA AOUVIRCE- DA AVSPE


Autoria e outros dados (tags, etc)

por paivajornalista@blogs.sapo.pt às 12:54


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Fevereiro 2012

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
26272829