Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

PAIVAJORNALISTA

Esse blog tem uma finalidade muito importante, isto é, levar aos conhecimentos dos leitores e amigos os mais diversos assuntos relacionados com o nosso dia a dia. Crônicas, Artigos, Poemas, Poesias, Atualidades, Política entre outros.



Quinta-feira, 06.01.11

A PERIFERIA ABANDONADA


A PERIFERIA ABANDONADA

O prazer do ser humano moderno é ganhar cada vez mais, não se importando com o que acontece a qualquer outra pessoa. O brasileiro não imantou ainda os ensinamentos divinos de amor, perdão, caridade e fraternidade. Compartilhar o muito que tem com os menos favorecidos, nem pensar. A cultura do bem ainda não está enraizada em nossas vidas, mesmo com o avanço da ciência e da tecnologia. Algumas religiões desvirtuaram o caminho da espiritualidade imantando a materialidade.

Sabemos que o vil metal é importante, mas muitos gulosos, invejosos e inescrupulosos só querem para si e estão praticando o “quanto mais tem, mais quer”. Percorrendo as ruas e avenidas de Fortaleza, constatamos a indiferença dos governos com a população mais carente, enquanto locais de luxo são preservados e limpos a periferia continua pobre, suja e sem saneamento básico.

A violência em sua maioria aumenta na camada mais carente da sociedade. Nos guetos, nas vielas, nas favelas e áreas de risco. Se os governantes vissem com bons olhos a periferia, melhorando a vida desses sofredores oferecendo-lhes melhores condições de infraestrutura básica, a violência diminuiria com certeza. Os colégios da periferia, os hospitais, postos de saúde, transportes e segurança estão em petição de miséria. Será que os menos aquinhoados devem ser discriminados a toda hora, a todo instante? A noção de igualdade e fraternidade escoa e faz pirraça deixando o povo esquecido a ver navios.

Mas não é melhor viver de maneira simples, sem tanto luxo e com menos preocupações? Não há prazer em empenhar-se sempre para ganhar até o ponto de não poder desfrutar do que se tem. Segundo Paramahansa Yogananda “mesmo ao se manter excesso de bens em ordem toma muito tempo e muita energia. A verdade é que, quanto mais “necessidades” desnecessárias você tiver, menos paz terá, e quanto menos você for possuído pelos seus bens, mas felicidade terá”.
Os governantes precisam mudar as estratégicas periféricas das cidades, e investir no homem. O homem esquecido, desiludido e fazendo parte do rol coletivo sairá de seu habitat natural indo à cata de soluções imediatas para amainar seus problemas e de seus familiares. Ao ser discriminado pela sociedade mais evoluída ele partirá para a prática de ações daninhas para a sua vida e o azimute mais próximo para ele será a marginalidade. Na tentativa de furto, roubo e/ ou outras ações criminosas encontrando facilidades com certeza voltará a praticar os mesmo delitos. O que se deve ter em mente é a execução de um trabalho construtivo. Todos são iguais perante a lei, mas as leis normalmente são burladas em detrimento de nossos direitos adquiridos.

O trabalho profícuo é aquele que visa a todos sem exceção, mas nossos representantes políticos resolvem meter os pés pela cabeça e procuram aumentar seus patrimônios e o perigo está na liberação das famosas verbas de cunho social. Nem mesmo os políticos estão preparados para o exercício da democracia, pois é comum confundirem política com politicagem. A briga por cargos importantes é titânica e às vezes infernal. Nas manifestações da natureza sempre quem sai perdendo são os moradores da periferia, visto que a infraestrutura não existe. Aqueles mais conscientes aderem ao comércio informal e com que grandeza esse tipo de comércio cresce em nossa cidade.

A necessidade, a fome, o desemprego, a miséria transformam qualquer ser humano. Desses cânceres emanam sementes de violência que estão sendo bem regadas pelos meliantes e marginais, obrigando as vítimas se trancafiarem em suas próprias residências. Nunca na história do Brasil as grandes e as cercas elétricas fizeram a psicosfera brasileira. Existe solução para essa situação calamitosa? Claro que sim. Como os governos gastam bilhões em propagandas, esses gastos usados em prol da “Trindade Social” teriam uma finalidade mais forte trazendo benefícios para a população carente.

Não se comporte como um mortal bajulador. Seja altruísta e relevante, não se deixe dominar, enfrente os obstáculos, as pedras de tropeço com coragem e resignação. Agindo assim, conseguiremos reunir um batalhão de homens que sabem o que quer e lutar pela melhoria das comunidades. Não se deixe apanhar pela máquina do mundo; ela exige demais de você. Quando você conseguir o que está procurando, seus nervos estarão acabados, o coração estará prejudicado e os ossos estarão doendo. É triste afirmar que uma grande parcela da população brasileira já se encontra nesse penoso estado. Deplorável com certeza. Pense nisso!

ANTONIO PAIVA RODRIGUES-MEMBRO DA ACI- DA ALOMERCE- DA UBT- DA AOUVIRCE- DA AVSPE

Autoria e outros dados (tags, etc)

por paivajornalista@blogs.sapo.pt às 15:37



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Janeiro 2011

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031