Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

PAIVAJORNALISTA

Esse blog tem uma finalidade muito importante, isto é, levar aos conhecimentos dos leitores e amigos os mais diversos assuntos relacionados com o nosso dia a dia. Crônicas, Artigos, Poemas, Poesias, Atualidades, Política entre outros.



Quarta-feira, 17.07.13

O UNIVERSO MARAVILHOSO EM QUE HABITAMOS

O UNIVERSO MARAVILHOSO EM QUE HABITAMOS

“Pais e educadores! Se o lar deve entrosar-se com a escola, o culto do Evangelho em casa deve unir-se à matéria lecionada em classe, na iluminação da mente em trânsito para as esferas superiores da vida” (Francisco de Paula Cândido Xavier).

Esse local fabuloso, bonito, mas de uma complexidade grandiosa em que habitamos, denominamos de Universo. O espaço astronômico, sideral ou espaço astronômico e também o centro da Terra não são partes desse espaço geográfico. A Terra diante da grandeza do universo é vista como um ponto minúsculo. Esse universo é formado por bilhões de galáxias. O homem sempre esteve estudando as nuanças desse espaço de imensas proporções. Vale salientar que cada galáxia possui bilhões de estrelas e outros astros.

Essa imensidão assusta ao homem e a sua preocupação aumenta quando toma ciência, através de estudos, da grande distância entre um astro e outro. Essa medida é calculada em anos-luz. O sol é uma estrela de quinta grandeza que ilumina a Terra, em dimensões é 1.300.000 vezes maior do que o planeta. Já o satélite natural da Terra, a lua, é 80 vezes menor do que o nosso orbe. O universo é a totalidade do espaço e do tempo, onde encontramos todas as formas de matéria, energia e impulso, além das leis e as constantes físicas que os regem.

No entanto, o termo universo pode ser utilizado em diferentes sentidos contextuais ligeiramente, para se referir a conceitos tais como cosmos, mundo ou natureza. Planeta é um astro sem luz própria, que gira em torno de uma estrela (o sol), a luz e o calor vem dessa imensa e importante estrela. O Universo é o conjunto de tudo o que existe: planetas, estrelas, galáxias. São corpos celestes que integram o universo que nominamos de astros.

Os planetas estão assim distribuídos: Mercúrio, Venus, Terra, Marte, Saturno, Urano, Netuno e Plutão. As galáxias, não eram bem conhecidas e recebiam o nome de nebulosas, que são partes ou regiões do universo onde se agrupam bilhões de estrelas, astros, planetas, asteroides e satélites. Segundo estudiosos em astronomia o universo tem uma idade de 13,73 mais ou menos 0,12 mil milhões de anos, entre 13.730 e 13.810 milhões de anos. Medindo em anos luz o universo alcança 93 mil milhões de anos-luz de diâmetro.

Afirmam os cientistas, que o universo teria se formado através de um evento chamado de Big-Bang. Toda matéria e energia do universo estavam concentradas em um ponto de densidade infinita. Após o evento, o universo começou a se expandir para alcançar sua condição atual e contínua. O homem na sua desconfiança natural faria a seguinte pergunta: “De onde teria surgido essa matéria e energia concentradas no universo”? Do nada ou alguém teria criado tudo isso? Até agora uma resposta plausível não foi dada, pois no nosso entender tudo seria apenas suposições.

A teoria da relatividade especial diz que a matéria não pode mover mais rápido do que a velocidade da luz, pode até parecer paradoxal que dois objetos no universo podem ter sido separados 93000000000 anos luz em um tempo de apenas 13000000000 anos, no entanto, essa separação não entra em conflito com a teoria da relatividade geral, uma vez que só afeta o movimento no espaço, mas não o próprio espaço, que pode ser separadas uma da outra mais depressa do que a velocidade da luz, se o espaço entre eles, que se dilata. (Fonte Wikipédia).

Estrela é um astro luminoso, isto é, possui luz própria, formado principalmente por materiais gasosos (hidrogênio e hélio), com temperaturas elevadíssimas. No interior das estrelas ocorrem frequentes explosões que liberam altíssimas energias. Saibam que a temperatura no interior do sol, gira em torno de 20 milhões de graus Celsius. Nessa imensidão existem quantidades incalculáveis de estrelas de tamanhos superiores ao sol, pois o sol em comparação a outras estrelas de maior grandeza é apenas uma pequenina estrela, considerada de quinta grandeza.

Dando uma conotação mais explícita do que citamos nas entrelinhas Um ano-luz é uma unidade de distância,aproximadamente igual a 9,46 x 10 12  km  = 9460730472 580,8 km. Calcula-se que o comprimento que é executado por meio da luz num ano Um ano de luz é uma unidade de comprimento (uma medida do comprimento de todos Einsteiniana (espaço-tempo)). Cientistas em campos especializados é o preferido parsec (cerca de 3,26 anos-luz) e seus múltiplos para distâncias astronômicas.

 Enquanto que ano-luz é ainda comum em Popular Science e, alcance  unidades de comprimento também baseadas em outros períodos, como a segunda luz e minuto de luz, usado principalmente para descrever distâncias dentro do Sistema Solar, mas também muitas vezes restringir o trabalho de proximidade como contextos especializados, É a preferida unidade astronômica (aproximadamente 8,32 minutos de luz).

Mais especificamente, a um ano de luz é a distância que um fotão novácuo, durante um ano Juliano (365,25 dias de 86.400 s) se equipara a velocidade da luz (299,792. 458 m/s), a uma distância infinita, a qualquer campo gravitacional ou de um campo magnético. A galáxia onde todos nós habitamos é nominada de Via Láctea. Dela fazem parte o sol e a Terra. Existem na Via Láctea cerca de 150 bilhões de estrelas, incluindo o sol. Além dos planetas aqui citados é possível que existam outros. Segundo estudiosos a quantidade de galáxias existentes no universo pode ser calculada em torno de 100 bilhões, sendo a mais próxima da Via Láctea, as Nuvens de Magalhães. 

Vocês já ouviram falar nessa galáxia? Não. Ela está localizada a cerca de 180 mil anos luz. Falar do universo é um tema apaixonante, mas merece um estudo mais apurado, pois tudo é calculado em anos luz e pode dificultar o entendimento das pessoas que gostam de estudar o universo. É muito difícil conhecer as regiões mais distantes do universo. Segundo J, William Vesentini e Vânia Vlach a velocidade da luz é de 300.000km por segundo no vácuo, é uma velocidade máxima ou limite.

Isso quer dizer que é impossível qualquer objeto se deslocar a uma velocidade maior que essa. A maioria das estrelas encontra-se a milhões de anos-luz de distância. Isso impossibilita que o homem tenha ciência de tudo que acontece nesse universo maravilhoso. Existem estrelas e outros astros situados tão longe do universo que não podem ser observados nem com auxílio dos possantes telescópios. O nosso sistema solar é um sistema planetário, ou um conjunto formado por um astro maior, ou seja, uma estrela denominada de sol. A terra é o terceiro planeta mais próximo do sol.

Poderíamos ainda dar conotações sobre os planetoides, os cometas, os satélites, os meteoros. Falar mais explicitamente sobre o sol e a lua, bem como as fases do satélite natural da terra, os movimentos da Terra, mas precisaríamos de mais espaço e tempo. Poderíamos com certeza formar uma enciclopédia, no entanto, a nossa função é levar alguns conhecimentos de que seja essa monstruosidade de uma beleza incomensurável, o universo. Esse trabalho de pesquisa está destinado àqueles leitores que querem assimilar maiores conhecimentos sobre essa imensidão em que estamos vivendo no momento.

Achamos que esse universo é uma obra majestosa construída por “mãos” Divinas. Esse arquiteto nós poderemos afirmar que é Deus. Sem ele nós não seríamos absolutamente nada. O Sol e a Lua são os dois astros que exercem maior influência sobre a Terra. Sem o sol não haveria vida em nosso planeta. Falando algo sobre a Terra diremos que ela tem a forma arredondada, mas não é uma esfera perfeita. Ela é ligeiramente achatada nas regiões polares (Norte e Sul). A linha do Equador também faz com que a Terra tenha essa forma A linha do Equador divide a Terra em duas partes iguais. No Equador, o diâmetro terrestre é de 12.756 quilômetros. Já na altura dos polos, é de 12.713 km. 

O perímetro da Terra, a sua circunferência, que alguns chamam de “cintura” do planeta, no Equador, é de 40.075 quilômetros, e nos polos é de 39.940 km. As citações aqui expostas mostram que os cientistas já alçaram um voo muito alto, pois as dimensões aqui expostas são verdadeiros cálculos matemáticos, no entanto, não sabemos se correspondem a realidade, mesmo assim já é um avanço muito grande para futuros voos em busca de uma penetração mais profunda no imenso universo. Pense nisso!

ANTONIO PAIVA RODRIGUES-MEMBRO DA ACI- DA ACE- DAUBT- DA AVSPE- DO PORTAL CEN- DA AOUVIRCE E DA ALOMERCE.






Autoria e outros dados (tags, etc)

por paivajornalista@blogs.sapo.pt às 07:43



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Julho 2013

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031