Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

PAIVAJORNALISTA

Esse blog tem uma finalidade muito importante, isto é, levar aos conhecimentos dos leitores e amigos os mais diversos assuntos relacionados com o nosso dia a dia. Crônicas, Artigos, Poemas, Poesias, Atualidades, Política entre outros.



Segunda-feira, 26.10.09

O PAÍS SEM JEITO!

O PAÍS SEM JEITO!

A maioria da população brasileira é ordeira, mas muito sofrida e paupérrima. O que o governo brasileiro paga a maioria dos excluídos não suplanta os três salários mínimos. Portugal queria transformar nosso país em fonte de lucros. Para isso, teria que montar aqui uma administração capaz de garantir a exploração colonial. A dificuldade era controlar um País com um território imenso, ainda mais sem dinheiro. A Coroa portuguesa tentou vários métodos para administrar a colônia, começando a executar na forma mais rude pelo “loteamento” do Brasil. A divisão do Brasil em colônias tomava o nome de Capitanias Hereditárias que tinham seus donatários o controle do rei de Portugal. Apenas duas prosperaram a de São Vicente e a de Pernambuco. Vieram os Governadores Gerais iniciando o período Tomé de Souza que governou de 1549 até 1543. O segundo Duarte da Costa foi o governador que trouxe mais jesuítas para o Brasil, entre eles o padre Anchieta. A invasão francesa ocorreu em seu governo em 1555. O período foi de 1552 a 1558, os franceses fundaram no Rio de Janeiro um povoamento de se chamou França Antártica.


Somente no terceiro governo, o de Mém de Sá, os franceses foram expulsos do território brasileiro. Aconteceu em 1567 e no governo de Mém de Sá cresceu o impulso à importação de escravos negros da África. Era a solução para o problema da falta de mão - de - obra para a agricultura. Depois vieram as sucessivas divisões, entre elas os governos do Norte e do Sul, o do Norte sediado em Salvador e chefiado pelo conselheiro Luis de Brito de Almeida (1573-1578) do Sul sediado no Rio de Janeiro chefiado pelo desembargador Antonio Salema de 1574 a 1578. De 1580 a 1640, Portugal passou a ser governado pelo rei da Espanha, mas antes como o sistema não dera resultado positivo voltou o governo geral para o Brasil. Vieram os Centros Administrativos: Estado do Maranhão com sede em São Luis. Somente no ano de 1571, esse estado passou a se chamar Estado do Grão Pará e Maranhão, pois o domínio foi crescendo até a floresta amazônica. Estado do Brasil com sede na cidade de salvador em 1763, a capital desse estado foi transferida para o Rio de Janeiro. Tivemos o poder das câmaras municipais, o controle da aristocracia rural e os choques com a Coroa.


O Brasil sempre foi um país problemático na sua história. Muitas mudanças foram feitas, muitas invasões, o latifúndio a monocultura, a escravidão dos Negros e índios, o período a da exploração da borracha e da cana de açúcar. O negro no Brasil comeu foi fogo e tinha os três pés para os escravos: pau, pão e pano. Tivemos as capelas, as senzalas, as casas de engenho, as moendas até a chegada da pecuária. As expedições militares para garantir - o litoral brasileiro contra invasões, essas expedições eram chamadas de expansão oficial. Em luta contra os estrangeiros foram criadas fortificações militares: Filadélfia de Nossa Senhora das Neves (1584) atual cidade de João Pessoa, capital do estado da Paraíba. Forte dos Reis Magos (1597) atual cidade de Natal, capital do Rio Grande do Norte. Fortaleza de São Pedro (1613), atual cidade de Fortaleza, capital do estado do Ceará. Forte do Presépio (1616) atual cidade de Belém, capital do Pará. O bandeirismo foi de importância capital para a extensão territorial brasileira.


Os sertanistas, as monções, a inserção dos jesuítas (Os “soldados de Deus” avançam para o interior), o tratado das fronteiras (os acordos internacionais que definiram nosso território), a época do ouro descoberto, o controle das minas, as crises na mineração e uma pergunta que ainda se faz: “quem ficou com o nosso ouro”? Vem o período das Sociedades coloniais do povo com a miscigenação e racismo. O índio, o negro, os grupos africanos, os quilombos, os capitães do mato, o quilombo dos Palmares. A sociedade açucareira e a mineradora. Estas são algumas nuanças da história do Brasil. A colonização brasileira não foi à esperada, pois a miscigenação de raças influenciou na cultura brasileira e os resultados perduram até os dias atuais. Dizem que o brasileiro assimilou a cultura dos portugueses, Mas achamos que o povo brasileiro assimilou mais a cultura africana, principalmente nas ações, no tipo de moradia, no visual das favelas e do comportamento ético do povo. Além das intempéries da natureza, onde o nordestino sofre com as secas inclementes, convivendo com a fome a miséria e a discriminação social, muito deles teve que migrar para a região Sudeste a cata de uma situação mais favorável para sua família.


Esta situação nos faz pensar na música “a triste partida” do grande Patativa do Assaré tão bem retratada na voz do rei do Baião, Luiz, Lua Gonzaga. Os problemas sociais nunca foram enfrentados como deveriam pela grande maioria dos políticos brasileiros. Uma invasão aqui outra acolá, e nenhuma providência dos “Direitos Humanos” e do governo, pronto estava plantado o embrião de uma favela. O problema das favelas em todo Brasil cresceu em virtude da acomodação e ineficiência dos governos, pois nenhum plano de impacto habitacional foi planejado e executado. O massacre de Canudos foi cruel e os que escaparam fugindo da morte se instalaram nos morros do Rio de Janeiro, assim começa a geração das favelas cariocas. Nos morros do Rio de Janeiro um vegetal em abundância adornava os morros Cariocas e era conhecido como “favela”, que aqui no Nordeste brasileiro é conhecido como “mandioca brava”. Favela não significa morada dos excluídos da sociedade. Nunca houve um combate firme a pobreza, a miséria, a fome e ao desemprego no Brasil, bem como um planejamento familiar e tome famílias pobres a colocarem filhos no mundo e para os mesmos não ficarem perturbando dentro de casa o destino era as ruas e avenidas das grandes metrópoles.


A pior universidade é a da rua, pois quem se forma nessa faculdade terá o diploma de meliante, estuprador, seqüestrador e traficante. Sempre afirmamos em nossas conotações que os chefões do tráfico não estão nas favelas e bairros da periferia, eles estão em luxuosos apartamentos, mansões de praia. Os que hoje trocam as famosas farpas com os policiais são apenas laranjas, repassadores e peixe pequenos. Instalam-se nas favelas, pois o acesso dos policiais é difícil e fazem as ações sociais que o governo deixou de fazer e se tornam grandes aliados dos traficantes. Encontram os pontos estratégicos para anunciar qualquer blitze policial. Ainda surgem os demagogos de plantão para crucificar os policiais civis e militares como o problema fosse de facílima solução. Num debate da televisão O Povo um dos participantes disse que não adiantaria fornecer arma ao policial que ele venderia a sua para os traficantes. Perdeu o antiético senhor uma grande oportunidade de ficar calado, pois fala sem noção do que diz, visto que 90% das armas dos policiais são adquiridos por eles próprios em convênios com a Taurus e a Rossi fabricantes de armamentos. E muitas das vezes compram seu próprio fardamento.


A segurança é dever de todo cidadão e os que estavam na mesa redonda do programa da TV O Povo bem que poderiam estar lá no From para se cientificar dos problemas emocionais, e os riscos que os policiais passam. Policial tem vencimento de miséria, não tem moradia própria, são submetidos a uma escala degradante de serviço para poder ganhar um pouco mais. Não tem plano de saúde, o hospital sucateado, recentemente um policial graduado precisou fazer vários exames e teve que desembolsar o dinheiro, pois o HPM não dispunha de verba. O médico que atendeu o oficial encaminhou-o a um nefrologista e o doente teve que desembolsar R$ 150 reais pela consulta e ainda teve que arcar com as despesas de ida e vinda do consultório médico, pois a ambulância está parada (no prego), as roupas usadas dos hospitalizados são lavadas fora do hospital, visto que a máquina está parada há tempos. Vejam as ações governamentais, destruíram por completo a APM (Academia de Polícia Militar) para acolher um pavilhão de feira. Afirmam que vão construir a mais bonita e luxuosa academia do Brasil, oficiais não são mais formados por não possuírem mais unidade acadêmica, enquanto isso compra aos rodos viaturas Hilux.


Senhores nós temos que investir no homem, educá-lo, treiná-lo e educar também a população, pois a Segurança reflete a situação por qual passa a sociedade brasileira. Quantas crianças fora da escola e estão na rua a delinqüir? Milhares. Quantos pedintes? Quantas crianças se prostituíndo? A corrupção campeia no parlamento e ninguém vai punido, mas porque os que se dizem profissionais da Comunicação Social se acham de meter o pau nos policiais? eles são humanos e podem ser induzidos ao erro. Quantos policiais já morreram em todo Brasil no estrito cumprimento do dever legal e as suas famílias como estão passando? Os Direitos Humanos e os críticos com a palavra. Assim como eles afirmam que as polícias estão despreparadas, tem muita gente passando-se por jornalistas e estão mais despreparados do que os policiais. Tem muito gente interessada no velho jabá. Vamos lutar por um Brasil melhor, mais humano, mais ético, mais sensível. Com raríssimas exceções, os que nos representam nada fazem. Aumentam tão somente seus patrimônios e o resto que se lasque. O próprio presidente abre a pouca para dizer que Jesus teria que fazer um pacto com o demônio para resolver problemas aqui da Terra. My God onde vamos chegar, o mais hilariante é que o pato quem paga são os militares, sejam eles das Forças Armadas ou dos Polícias Militares, pois a corja de políticos que temos “nos representando” nada fazem e nem irão fazer.


Sobre o caso no Rio de Janeiro onde teria acontecido uma falta de atendimento a uma pessoa assaltada e baleada, aqui mesmo em frente do maior hospital de emergência (IJF) um pobre coitado morreu agonizante por falta de atendimento médico e quantas senhoras, idosos já morreram nas filas da previdência esperando por uma consulta que nunca sai e quem a consegue deverá voltar no mínimo com seis meses ou um ano para ser atendida. O que se gasta de propaganda política no Brasil é caso de polícia. Infelizmente, o Brasil passa por momentos cruciais, mas não vemos soluções plausíveis e nem candidatos com condições de governar o ingovernável. O presidente Lula lança para lhe substituir na presidência uma mulher perigosa que no passado como guerrilheira cometeu milhões de absurdos. Você poderá não reverter à cólera daquele que você prejudicou com seu ato impensado, mas assegure-o que você não mais vibrará no erro e ele começará a vê-lo com outros olhos.


Você sofreu a pressão de traições, ofensa e agastamentos de corações, nos regimes de amor. Sofre, chora, inquieta-te e revolta-se. Desagradável sentimento de cor e ódio toma-lhe de assalto, surrupiando de vez suas últimas cotas de resistências. Enquanto delibera pela ação enfermiça ante as dores afetivas. Nesse drama, é chegada a hora da razão assumir o leme da embarcação do sentimento, rumos às águas menos turbulentas, para evitar seu naufrágio e a falência definitiva. Irreversível. Oferecemos estas belas palavras a toda família policial militar que se pudesse usava flores no lugar de armas, mas com a sociedade é injusta e cruel os policiais são frutos dela.

ANTONIO PAIVA RODRIGUES-MEMBRO DA ACI-ALOMERCE E AOUVIRCE

Autoria e outros dados (tags, etc)

por paivajornalista@blogs.sapo.pt às 11:25


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Outubro 2009

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031