Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

PAIVAJORNALISTA

Esse blog tem uma finalidade muito importante, isto é, levar aos conhecimentos dos leitores e amigos os mais diversos assuntos relacionados com o nosso dia a dia. Crônicas, Artigos, Poemas, Poesias, Atualidades, Política entre outros.



Quinta-feira, 23.08.12

RELIGIÃO E ESPIRITUALIDADE


RELIGIÃO E ESPIRITUALIDADE

“A alegria que se demonstra é força contra a tristeza e o medo. Ao abrir-se num sorriso, você encaminha alegria em direção aos outros e também a si mesmo. É como se dissesse estar contente consigo mesmo, com a vida, com eles, com Deus.” (Lourival Lopes).

Duas palavras, dois significados que podem estar entrelaçados, ou mesmo equidistantes, dependendo do ponto de vista de cada pessoa. As duas têm importâncias fundamentais, mas uma se torna mais forte do que a outra, quando pensamos com o coração. Assim, diremos quando o assunto envolve outras palavras que para uns é a verdade na expressão escorreita da palavra e a outra é apenas uma questão de crença. Nós nos referimos à ressurreição e reencarnação. Duas que ainda são tabus para toda humanidade, no entanto, estão entrelaçadas desde o início de cada ciclo, nos referimos à vida e a morte. Deus, a inteligência suprema, causa primeira de todas as coisas, arquitetou o mundo de uma maneira tão sublime, que o homem jamais será capaz de descobrir as nuanças divinas.

É bom que se frise que o Pai somente arquitetou o orbe em que vivemos, no entanto, a responsabilidade maior ficou a cargo do Cristo Planetário. O homem que sorri sempre será um ser feliz. O sorriso que vem do mais profundo sustenta a mente, à semelhança do combustível que sustenta o motor. Por isso, não se feche nem seja indiferente ao sorriso dos outros, principalmente quando esse sorriso parte de uma criança. Vamos aos fatos: “religião perfeita será aquela de cujos artigos de fé nenhum estejam em oposição àquelas qualidades (atributos divinos); aquela cujos dogmas todos suportem a prova dessa verificação sem nada sofrerem”.

No estado atual da opinião e dos conhecimentos, a religião, que terá de congregar um dia todos os homens sob o mesmo estandarte, será a que melhor satisfaça a razão e às legítimas aspirações do coração e do espírito, que não seja em nenhum ponto desmentida pela ciência positiva; que, em vez de se imobilizar, acompanhe a Humanidade em sua marcha progressiva, sem nunca deixar que a ultrapassem; que não for nem exclusivista, nem intolerante; que for à emancipadora da inteligência, com o não admitir senão a fé racional; aquela cujo código de moral seja o mais puro, o mais lógico, o mais de harmonia com as necessidades sociais, o mais apropriado, enfim, a fundar na Terra o reinado do Bem, pela prática da caridade e da fraternidade universais. A religião é antes sentimento, que conhecimento. É a alma da adoração e da justiça; o corpo dessa alma é a igreja universal. Aqui não nos referimos a IURD (Igreja Universal do “Reino de Deus”). É um laço de atração e aproximação entre Deus e a criatura; atração da parte do Criador, que é a vontade absoluta e eterna; aproximação por parte da criatura racional, que é a vontade relativa, subordinada à ordem harmoniosa, estabelecida pela sabedoria suprema que tudo dirige e estimula.

Definições belas, complexas, mas de uma simbologia sábia, principalmente para quem tem fé e acredita na existência de um Ser Superior. A Religião de Jesus não é exclusivista; une todas as almas crentes num vínculo comum; prende todos os seres que pensam, amam e sofrem, num mesmo amplexo e uma só comunhão de amor. É a forma simples e sublime que vai direta ao coração, comove e engrandece o homem, franqueia-lhe as infinitas sendas do ideal. Infelizmente, nem todas as religiões agem como ensinou o Mestre Jesus, e a distorção acontece naturalmente, por ser o homem um ser imperfeito, e além do mais, criado simples e “ignorante”.

A Espiritualidade é uma dimensão da pessoa humana que traduz, segundo diversas religiões e confissões religiosas, o modo de viver característico de um crente que busca alcançar a plenitude da sua relação com o transcendental. Cada uma das religiões comporta uma dimensão específica e a esta descrição geral, mas em todos os casos, se pode dizer que a espiritualidade “traduz uma dimensão do homem, enquanto é visto como ser naturalmente religioso, que contribui de modo temático ou implícito, a sua mais profunda essência e aspiração”. (Wikipédia). Nós diríamos que a espiritualidade independe de religião, é algo mais superior, e fé, é amor, é doação.

É a evolução humana em que o azimute principal está direcionado para Deus. Segundo o que se vê no site mulher de classe a espiritualidade pode começar estudando-se o radical da palavra espírito. Espírito, segundo definição do Dicionário Aurélio, é a parte imaterial do ser humano, a alma. E o que seria alma? Princípio da vida. Entidade a que se atribuem, por necessidade de um princípio de unificação, as características essenciais à vida e ao pensamento. Princípio espiritual do homem concebido como separável do corpo e imortal. O conjunto das funções psíquicas e dos estados de consciência do ser humano que lhe determina o comportamento, embora não tenha realidade física ou material; espírito. Sede dos afetos, dos sentimentos, das paixões. Sentimento, generosidade, coração, condição primordial. Essência.

Grosseiramente, podemos dizer então, que espiritualidade é a atividade através da qual trabalhamos ou desenvolvemos o nosso espírito, a nossa alma. As pessoas criaram inúmeras formas de trabalhar o espírito. Existem hoje incontáveis religiões, crenças, seitas, filosofias, magias, sociedades secretas, organizações e até ciências que tratam do espírito. A Religião dos espíritos agasalha todos. É uma nova etapa na evolução humana. Por isso. Ela sintetiza verdades milenares retiradas de antiquíssimas religiões, máximas e preceitos morais de mais de 6.000 anos, ensinos sobre a trajetória da alma, antes do renascimento e após a morte, o velhíssimo conhecimento sobre reencarnação, e, sobretudo os ensinos evangélicos, a mais alta mensagem espiritual trazida a Terra, em todos os tempos. A palavra grosseiramente fica por conta do dicionário Aurélio.

Parece-nos difícil defini espiritualidade, no entanto, parece tão natural é lógico o que seja. A evolução do espírito humano onde ele acolhe a bondade, a fé, a fraternidade e a caridade. O espírito evoluído sempre estará em condições mais altas, visto que a bondade do coração humano, o leva a uma grandeza na sua espiritualidade. O espírito mais evoluído e considerado Puro que pisou o orbe terrestre foi Jesus, mesmo assim foi vítima de muitos espíritos de baixa classificação. O maior enigma da morte é a vida e o maior enigma da vida é a morte ou estagnação biológica. A reencarnação é antiga crença que vem antes de Cristo. A religião foi adepta por muito tempo da reencarnação e por imposição da mulher de Justiniano que não queria nascer novamente como escrava e negra convenceu ao marido a mudança para ressurreição que foi votada no Concílio de Constantinopla I.

O grande estudioso, professor e doutor, Guido Nunes nos repassa belas conotações sobre religião e espiritualidade e seria de bom alvitre que assimilássemos algumas de suas colocações. A religião não é apenas uma, são centenas, a espiritualidade é apenas uma. A religião é para os que dormem, a espiritualidade é para os que estão despertos. A religião é para aqueles que necessitam que alguém lhes diga o que fazer e querem ser guiados; a espiritualidade é para os que prestam atenção em sua voz interior. A religião tem um conjunto de regras dogmáticas, a espiritualidade te convida a raciocinar sobre tudo, a questionar tudo. A religião amedronta e ameaça a espiritualidade lhe dá paz interior. A religião fala do pecado e da culpa, a espiritualidade lhe diz: “aprenda com o erro”. A religião reprime tudo, te faz falso, a espiritualidade transcende tudo, te faz verdadeiro. A religião não é Deus, a espiritualidade é tudo e, portanto é Deus.

A religião não indaga nem questiona, a espiritualidade questiona tudo. A religião é humana, é uma organização com regras, a espiritualidade é Divina, sem regras. A religião é causa de divisões, a espiritualidade é casa de união. A religião lhe busca para que acredite a espiritualidade você tem que buscá-la. A religião segue os preceitos de um livro sagrado. A espiritualidade busca o sagrado em todos os livros. A religião se alimenta do medo, a espiritualidade se alimenta na confiança e na fé. A religião faz viver no pensamento, a espiritualidade na Consciência. A religião se ocupa com fazer, a espiritualidade se ocupa com Ser. A religião alimenta o ego, a espiritualidade nos faz transcender. A religião nos faz renunciar ao mundo, a espiritualidade nos faz viver em Deus, não renunciar a Ele. A religião é adoração, a espiritualidade é meditação.

A religião sonha com a glória e com o paraíso, a espiritualidade nos faz viver a glória e o paraíso aqui e agora. A religião vive no passado e no futuro, a espiritualidade vive no presente. A religião enclausura nossa memória, a espiritualidade liberta Consciência. A religião crê na vida eterna, a espiritualidade nos faz consciente da vida eterna. A religião promete para depois da morte, a espiritualidade é encontrar Deus em nosso interior durante a vida. “Não somos seres humanos passando por uma experiência espiritual...” “Somos seres espirituais passando por uma experiência humana”. Pense nisso!

ANTONIO PAIVA RODRIGUES- MEMBRO DA ACI- DA ACE- DA UBT- DA AVSPE- DA AOUVIRCE E DA ALOMERCE.





Autoria e outros dados (tags, etc)

por paivajornalista@blogs.sapo.pt às 17:55


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Agosto 2012

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031