Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

PAIVAJORNALISTA

Esse blog tem uma finalidade muito importante, isto é, levar aos conhecimentos dos leitores e amigos os mais diversos assuntos relacionados com o nosso dia a dia. Crônicas, Artigos, Poemas, Poesias, Atualidades, Política entre outros.



Quarta-feira, 03.03.10

JORNALISMO UM CURSO SUPERIOR!

JORNALISMO UM CURSO SUPERIOR!

Infelizmente os poderosos da mídia auferem tudo. Através da influência do vil metal eles conseguem dizimar um curso superior para proporcionar a gregos e troianos, o que se chamaria “Exercício Ilegal da Profissão”. Continuamos a afirmar que a decisão tem caráter político, pois a exigência do diploma nasceu no governo nos militares, que os menos incautos apelidaram de ditadura. Só tomamos conhecimento de uma ditadura no Brasil, a de Gétúlio Vargas. A história do Brasil consolida esta posição. Ditador foi um magistrado romano que era investido pelo Senado do poder de ditar leis e as fazer cumprir por um período de seis meses se, por algum motivo, as instituições nacionais estivessem em perigo. Autoridade máxima de um país que concentro todos os poderes do Estado e exerce poder absoluto, durante uma ditadura, indivíduo autoritário e despótico. Algumas medidas tomadas pela nossa justiça podem ser consideradas ditatoriais, visto que beneficiam somente os grandes em detrimento dos pequenos, ou beneficiar os mais fortes e prejudicar os maus fracos.

É triste, hilariante afirmamos que estamos em plena democracia. O que dá para rir dar para chorar. O “bispo” Edir Macêdo da IURD (“Igreja Universal do Reino de Deus”) ganhou direito na justiça, através de seus advogados a titularização de jornalista, segundo informações ele exercia o jornalismo como colaborador. Achamos até que o STF (Supremo Tribunal Federal) não gosta de jornalista. Derrotado em primeira instância recorreu ao Supremo e conseguiu seu intento. Temos que apelar para os políticos de bom senso, pois muitos jovens espalhados pelo Brasil afora estão integrados na Comunicação Social nas diversas Universidades e Faculdades, espalhados pelo Brasil. Obviamente não terão a destinação que eles escolheram por vocação, pois o Supremo Tribunal Federal sepultou a vocação de muitos jovens universitários. “A sentença do Supremo Tribunal Federal (STJ), em cassar a obrigatoriedade do diploma de jornalista para o exercício da profissão, já reflete negativamente em instituição de ensino superior da Paraíba”. A Faculdade Integrada de Patos (FIP) registrou uma queda no número de inscrições para o curso da noite de Comunicação Social - Jornalismo de cerca de 90%, no segundo vestibular deste ano.

A assessoria acadêmica da instituição de ensino acredita que a medida do STF foi o motivo da redução. De acordo com Alana Candeia de Melo, assessora acadêmica da FIP, apenas três pessoas se inscreveram para o segundo vestibular da instituição. Ela revelou que anualmente o número superava as 30 inscrições. Alana afirmou também que a redução criou de certa forma, um problema para a manutenção do curso, considerando os custos da estrutura. De acordo com Alana, nunca a instituição de ensino tinha inscrito tão pouca gente no curso de Comunicação Social. Ela afirmou que mesmo nas segundas etapas dos vestibulares da FIP, no mínimo, 18 pessoas faziam inscrição. Apesar da queda, a assessora disse que o curso de Jornalismo não será encerrado na FIP.

“Estamos dentro dos padrões de qualidade exigidos pelo MEC e não seremos coniventes com o Supremo, fechando o curso de Jornalismo”. Acreditamos que a situação vai se reverter. Peço aos jornalistas que vão para as ruas, isso não pode ficar assim!”“, afirmou Cristine Pires MTB 7847. Nossa confreira Cristine Pires está correta, mas o quê o MEC (Ministério de Educação e Cultura) fez em defesa dos futuros jornalistas? Nada. Absolutamente nada.

Hoje o forte no Brasil é o império da moeda e da corrupção. Basta ser possuidor de uma grande quantidade de dinheiro que se consegue tudo. Enquanto pobres barnabés tiveram seus vencimentos surrupiados, recorreram ao mesmo STF ganharam a causa, mas não levaram. Há mais de dez anos que lutam pelos seus direitos. A Carteira de Trabalho para jornalista nada representa? A maioria dos beneficiados com canais de televisão, e emissoras de rádio não estão preocupados com a legislação e sim em auferir vil metal. A maioria dos jornalistas tem as suas Carteiras do Ministério do Trabalho assinadas como radialista, é uma realidade, mas ninguém de bom senso procura defender a classe. Hoje o radialista tem de comprar ou alugar horários nas emissoras de rádio para sustentar suas famílias. O Brasil tornou-se o país das contradições e os injustos estão no poder para sugar os justos. Resolvemos içar alguns comentários para ilustrar essa matéria e achamos esse desabafo muito importante.

Vejam: “O texto desse título poderia bem ser aquelas estórias que se encontram em livros ou até em cordéis do nosso Nordeste, mas refletem o recente caso decidido pelo Supremo Tribunal Federal (STF)”. A notícia da semana e que ainda está sendo "digerida", por conta do seu resultado para a realidade, afetará uma profissão consolidada. O STF decidiu pelo fim do diploma do jornalismo e reacendeu uma mostra de como anda o judiciário brasileiro, com suas visões ultrapassadas e encoberto por interesses e dinheiro. A alegação de Gilmar Mendes, que conduziu a este resultado, mostra a fragilidade de sua argumentação e da inocência (será inocência?) com que trata o STF de questões mestras para a sociedade. Confundir liberdade de expressão com o exercício da profissão de jornalismo foi demais, até para os desavisados.

E agora, vamos nos debruçar um pouco só para refletir sobre este caso e suas consequências: LIBERDADE DE EXPRESSÃO E JORNALISMO - Desde o surgimento da imprensa, a participação da população (a liberdade de expressão) passou por altos e baixos, no Brasil e no mundo.

Porém, no caso particular do território brasileiro, essa situação estava e está em constante crescimento, com a possibilidade de publicação de artigos, crônicas, cartas, sugerindo pautas para matérias. Além disso, reivindicações e críticas também são acatadas, desde que contribuam para a comunidade local (casos como escolas sem professor ou outros). Mas se mesmo assim achar pouco, então enveredemos pela internet, esse espaço mais que democrático, onde qualquer pessoa pode criar um blog, site ou afim e fazer dele seu espaço para escrever o que quiser (não é espaço democrático, ministros?). Mas já que o STF acha fácil ser jornalista, se ele quer a liberdade de expressão e qualquer pessoa pode ser jornalista sem o diploma hoje, então faremos uma experiência singela: Escolhamos por um dia pessoas comuns na rua (que tenham o ensino médio completo), e coloquem nas redações, e vamos fazer os jornais, revistas, portais de notícia e TVs. Será que eles começarão pela pauta? Ou então já irão para a matéria, mas sem o devido encaminhamento? Ou ainda, farão a matéria sem checar e ver o que poderia ser uma matéria denunciativa ser um caos para si próprio? Não sei, é difícil saber.

O Jornalismo não é a simples arte de escrever ou escrever bem, no ritmo, é uma tarefa complexa de trazer cotidianamente matérias com informações pesquisadas, com os cruzamentos de dados e informações, além da checagem para enfim ser vista por todos. Os jornalistas de batente, que tem o seu diploma pelo tempo na profissão, estes são jornalistas como os que se formaram ou estão nesse processo, pois nos tempos passados, esta profissão deu sua consolidação por conta dos lutadores da formação dos profissionais vindouros. Mas os tempos são outros e a faculdade é por demais necessárias, pela sua parte teórica.

Sr., ministro Gilmar Mendes e STF, julgar que o diploma exigido futuramente só será apenas para a área de saúde e técnica, porque não causam mal a vida humana, é ser ingênuo demais ou apelar para a falta de inteligência ou ainda ser incentivado pelo lado das cifras. Será que uma matéria jornalística feita com dados sem checagem, que cite erroneamente um cidadão em penhor de outro não causará danos àquele sem ter nada haver? Fica como cita a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) e a Associação dos Jornalistas do Mundo, o retrocesso aconteceu na casa da "justiça" brasileira.

É esta justiça, já velha e viciada. Além de ser cega, surda, muda e apática! O Jornalismo e seus reais representantes são muito mais do que uma decisão qualquer de ministros de um tribunal! Aqui está o protesto de um dos futuros jornalistas dessa pátria, bem como dos atuais estudantes de jornalismo do Brasil. * Texto de Yuri Guedes de Lavor - Bacharelando em Jornalismo UEPB. Qualquer cidadão brasileiro tem o direito à liberdade de expressão que a Constituição lhes confere, então todos os cidadãos brasileiros poderão entrar com processo na justiça para se tornarem jornalistas? É uma pergunta que não quer calar, mas ninguém quer sair em defesa de uma classe laboriosa que vem prestando relevantes serviços ao Brasil.

O PNDH 3, que aí está para ser aprovado é outra aberração, pois tira a liberdade de imprensa e nenhum “jornalista” poderá expor seus pensamentos e comentários em nenhum veículo de comunicação, ou mídia. Se desagradar o governo será censurado com certeza. Nuvens negras pairam sobre o céu brasileiro, a ameaça do socialismo comunista continua forte, o próprio presidente Lula parece mais caixeiro viajante. Já escolheu a sua candidata, Dilma Rousseff para substituí-lo na presidência da República. Se eleita, seu concorrente José Serra irá encerrar sua carreira política. Em termos de concorrência a presidente da República é mais - fraco do que caldo de bila. A situação política brasileira poderá ficar conturbada. Os sindicatos, os representantes dos jornalistas calaram-se, a única solução é apelarmos para Deus, ou então que o novo presidente da república seja um líder, um homem de vergonha e que tenha respaldo para colocar toda essa corja de ladrões na cadeia.

Daqui a pouco o prático poderá exercer a função de dentista, as parteiras de médica ginecologista, as rezadeiras e benzedeiras irão assumiras funções de padre e médico da família. Pode Freud? Merecemos respeito, o povo brasileiro também. Os corruptos, os integrantes do mensalão serão sócios do Banco Central, os deputados e senadores corruptos voltarão a - ser donatários, pois cada um quer ter em suas mãos sua capitania hereditária. A oligarquia se fortalecerá, as Forças Públicas serão apenas vigilantes e as Forças Armadas não terão o direito de defender a nação, pois a mesma será entregue ao sistema comunista que querem implantar no Brasil com todas as regalias possíveis. Pense nisso! Os honestos e justos podem ir ao paredão. Não é BBB, mas tudo se faz por milhões.

ANTONIO PAIVA RODRIGUES-MEMBRO DA ACI- DA ALOMERCE- DA UBT E DA AOUVIRCE

Autoria e outros dados (tags, etc)

por paivajornalista@blogs.sapo.pt às 08:16



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Março 2010

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031