Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

PAIVAJORNALISTA

Esse blog tem uma finalidade muito importante, isto é, levar aos conhecimentos dos leitores e amigos os mais diversos assuntos relacionados com o nosso dia a dia. Crônicas, Artigos, Poemas, Poesias, Atualidades, Política entre outros.



Quinta-feira, 18.07.13

AMOR DOCE E CARINHOSO!


AMOR DOCE E CARINHOSO!


Uma frase doce e carinhosa... Eu te amo!
Amor que cresce e enobrece todos os dias.
Enseja ao coração amor forte e sem engano...
Nas carícias e afagos renascem eternas alegrias.

No momento eu que se esqueces de me amar,
Eu fico desnorteado, triste e um pouco atrapalhado.
Timidamente eu discordo e a sua foto fico a contemplar...
É o amor que cresce, robustecendo o senso encalhado.

Meu amor é uma poetisa de rimas altaneiras que irradiam...
Alegrias, sentimentos, sensações de brilhantes raros...
Não esqueço o nosso aconchego e os beijos que silenciam...

O torpor envolvendo os nossos corações pulsantes e apaixonados...
Nos sentimentos ficam as marcas das venturas e dos esbarros...
Ao final a união se consolida em alegrias com carícias e amores eternizados.


ANTONIO PAIVA RODRIGUES-FORTALEZA/CEARÁ
   


Autoria e outros dados (tags, etc)

por paivajornalista@blogs.sapo.pt às 14:29

Quinta-feira, 18.07.13

MATURIDADE E EXPERIÊNCIA


Autoria e outros dados (tags, etc)

por paivajornalista@blogs.sapo.pt às 12:54

Quinta-feira, 18.07.13

JOVIALIDADE E MATURIDADE

JOVIALIDADE E MATURIDADE

“Homem nenhum possui faculdades completas. Mediante a união social é que elas uma às outras se completam, para lhes assegurarem o bem-estar e o progresso. Por isso é que, precisando uns dos outros, os homens foram feitos para viver em sociedade e não isolados.” (“Allan Kardec, O Livro dos Espíritos”. Q. 768).

A jovialidade está ligada ao espírito Jovial, disposição para a alegria e o bom humor. Podemos aliar também as sinonímias de agrado; alacridade; alegria; bom-humor; contentamento; desfastio; entusiasmo; jubilidade; júbilo; ledice; prazer; regozijo e satisfação. A maturidade está intrinsecamente ligada ao efeito ou a circunstância de quem se encontra numa fase adulta, estado das pessoas ou das coisas que atingiram completo desenvolvimento: maturidade comportamental, mental. Momento do que se encontra no último estágio do desenvolvimento; evolução; maturidade das artes plásticas.  Espaço de tempo de uma vida compreendido entre a juventude e a velhice.

Comportamento ou modo particular da idade adulta ou madura indivíduo que demonstra excesso de maturidade. Madureza, madurez, maturação e sazonamento. Diferença primordial entre o jovem e o adulto na idade, mas não na experiência ou no conhecimento, bem como na experiência de vida. Fazer o bem é sinonímia de madureza e pode ser objetivo específico de jovens e de adultos, pois tudo está implícito no livre-arbítrio de cada ser humano, Vejam: do livre-arbítrio ele nasceu, na mente humana se desenvolveu, falam, mas não agem e nem interagem. Em nome do mais simples, chamado bem!

Ele é o contrário do mal, mas não é anormal, é normal, ditoso e no consciente se robusteceu, não é criação humana e sim divina, veio de Deus, O Pai Maior. É a salvação do homem, do mundo e vai mais além dos que se apresentam bem e não da mesma forma, dos que confiam e acreditam no poder do bem e exploram o bem do poder, mas devem crer-nos que se adicionam no bem do vil metal. Sem repartir o dinheiro do bem, não desdém. Os que têm consciência de encontrá-lo e preservá-lo fazem o contrário procurando o mal e os retém!

Num futuro bem próximo virá à consciência, que se instruiu no bem do amor e sem destemor. Mostrar o rigor da joia que Deus o mentor deu por amor, mas o homem por teimosia e ignorância deixa se esvair na lembrança e sem olhar para a bonança, imanta no coração e na índole do mal, por teimosia, esquece o sagrado dever de fazer o bem. O ser humano desde o seu nascimento, isto é quando ingressa nesse orbe, ele começa a demonstrar o que é a socialização e uma das exigências é mostrar a força de sua natureza.

O impulso gregário pode ser o primeiro sorriso do recém-nascido do bebê ao perceber a fisionomia dos pais. Após, essa fase ele entra na necessidade de ultrapassar o “Eu” para se encontrar com o “Outro”. O homem mesmo com toda inteligência a sua disposição, será incapaz de viver sozinho, pois sua interação maior está na sociabilidade. O homem é dotado do egocentrismo, e as crianças não se acostumam sozinhas, visto que já nos primeiros passos ou nos primeiros anos de existência, sentem necessidade da companhia benfazeja de outras crianças da mesma idade, sendo um ato importante e digno de nota, a extrema facilidade com que se aproximam uns dos outros e a bela maneira como se comunicam.

A criança tem idades especificas para um bom desenvolvimento e essas idades correspondem a fases que as crianças passam durante o seu desenvolvimento natural, As fases de desenvolvimento da criança segundo Freud está assim delineada: Freud é um dos psicólogos mais profícuos e influentes dos últimos anos, ou dos últimos dois séculos. Irreverentes e radicais, suas teorias sobre conceitos como sonhos, sexualidade e inconsciente ainda são algumas das teorias mais estudadas e criticadas na disciplina.

Uma das mais lidas - as cinco fases do desenvolvimento psicossexual da criança - ainda gera muitas discussões entre os profissionais da área, psicólogos, psicopedagogos e psiquiatras etc. A criança começa o seu desenvolvimento pela fase Oral A começar do nascimento, Freud diz que a primeira fase de desenvolvimento de uma criança se concentra na região oral. Tendo como exemplo principal a amamentação da mãe, a criança obtém prazer a partir do ato de sucção e sente então satisfação com a nutrição proporcionada pelo ato. Onde a amamentação é interrompida precocemente, Freud afirma que a criança terá atitudes suspeitas, não confiáveis ​​ou sarcásticas, enquanto a que for constantemente amamentada - talvez superamamentada - terá uma personalidade confiante e ingênua.

Com duração de um ano a um ano e meio, a fase oral termina com a introdução do desmame. Depois vem a fase Anal - Ao receber orientações sobre higiene íntima, a criança desenvolve uma obsessão para com a região anal e o ato de mexer com as entranhas. Freud diz que a criança vê esta fase como uma forma de se orgulhar das "criações", o que leva à personalidade "anal expulsiva". A criança pode também propositadamente reter seu sistema digestivo como forma de destituir os pais, o que leva à personalidade "anal retentiva".

Freud afirma que esta fase tem uma duração de um a dois anos. Passando essas duas primeiras fases a criança entra na fase fálica que é uma das mais importantes e às vezes complicadas para os pais ou responsáveis. Fase Fálica - De acordo com Freud, a fase fálica é a mais crucial para o desenvolvimento sexual na vida de uma criança. Ela se concentra nos órgãos genitais - ou a falta deles, se a criança for do sexo feminino - e os complexos infames de Édipo ou Electra emergem. Para um homem, a energia sexual é canalizada no amor por sua mãe, levando a sentimentos de inveja (às vezes violentos) ao pai.

Ao final, no entanto, o menino provavelmente aprenderá a se identificar com o pai, em termos de órgãos genitais correspondentes, reprimindo assim o complexo de Édipo. Por outro lado, o complexo de Electra, embora Freud não tenha sido tão claro assim, principalmente diz respeito ao mesmo fenômeno, porém invertido, para as meninas. Freud alega que esta fase dura de três a quatro anos. Já o período de latência Freud diz que o período de latência no desenvolvimento da criança não é um período psicossexual, mas sim uma fase de desejos inconscientes reprimidos. Neste período, a criança já superou o complexo da fase fálica e, embora desejos e impulsos sexuais possam ainda existir, eles são expressos de forma assexuada (amizades, escola, esportes) até o começo da puberdade. Na Fase Genital de acordo com Freud, na fase genital, a criança mais uma vez volta a sua energia sexual para seus órgãos genitais e, portanto, em direção às relações amorosas.

Ele diz que esta é a primeira vez que uma criança quer agir de acordo com seu instinto de procriar. Também, em caso de conflitos sexuais não resolvidos em fases anteriores de seu desenvolvimento, Freud diz que estes emergirão na fase genital, a homossexualidade sendo um dos exemplos citados por Freud. (Fonte: esjowbrasil). Vemos a importância dessas fases no desenvolvimento da criança. Somente Freud foi capaz na época de classificar e explicar, através de estudos todas as fases do desenvolvimento da criança.

A Puberdade é o período da vida em que se inicia a atividade das glândulas reprodutoras e se manifestam certos caracteres sexuais secundários (no homem: pilosidade; mudança de voz; na mulher desenvolvimentos dos seios e menstruação). Adolescência, juvenialidade, juventude e mocidade.Segundo Friedrich Nietzsche: “A maturidade do homem consiste em ter reencontrado a seriedade que tinha no jogo quando era criança”.às vezes nos sentimos gigantes, seres superiores e indestrutíveis. Em outros momentos somos criaturas diminutas, frente às grandes catástrofes. Ser grande ou pequeno é relativo, assim como nosso conhecimento ou nossa racionalidade.

A honra da maturidade não consiste numa longa vida, e não se mede pelo número de anos. Mas a inteligência é que faz os cabelos brancos, e a verdadeira maturidade é uma vida imaculada. Porque a fascinação da maturidade escurece a beleza moral e o movimento das paixões transforma uma alma ingênua. É glorioso o fruto dos bons trabalhos, e a raiz da inteligência é imperecível. (João Miguel Carmo Nogueira). A adversidade é um trampolim para a maturidade. (Charles Colton). Uma pessoa imatura pensa que todas as suas escolhas geram ganhos. Uma pessoa madura sabe que todas as escolhas tem perdas. (Augusto Cury);"A maturidade me permite olhar com menos ilusões, aceitar com menos sofrimento, entender com mais tranquilidade, querer com mais doçura." (Lya Luft). Dar a outra face é um símbolo de maturidade e força interior. Não se refere à face física, mas à psíquica.


Dar a outra face é procurar fazer o bem para quem nos decepciona, é ter elegância para elogiar quem nos difama, altruísmo para ser gentil com quem nos aborrece. É sair silenciosamente e sem estardalhaço da linha de fogo dos que nos agridem. Dar a outra face previne homicídios, traumas, cicatrizes impagáveis. Os fracos se vingam, os fortes se protegem. Livro O vendedor de sonhos. (Augusto Cury).


Fizemos uma análise para colocar a disposição dos leitores as diferenças primordiais entre jovialidade e maturidade, cada uma com suas finalidades específicas. É importante que o público-alvo seja atingido e que a matéria exposta seja do agrado de todos. O Escritor se esforça para atingir essa metas, mas pela imperfeição humana, jamais poderemos agradar a todos, pois nem o Mestre Jesus Cristo conseguiu esse mister. Pense nisso!


ANTONIO PAIVA RODRIGUES-MEMBRO DA ACI- DA ACE- DA UBT- DA AVSPE- DO PORTAL CEN- DA AOUVIRCE E DA ALOMERCE.



Autoria e outros dados (tags, etc)

por paivajornalista@blogs.sapo.pt às 12:53

Quarta-feira, 17.07.13

EDUCAÇÃO INFANTIL UM AVANÇO


Autoria e outros dados (tags, etc)

por paivajornalista@blogs.sapo.pt às 15:02

Quarta-feira, 17.07.13

MENINOS DE RUA E A EDUCAÇÃO NO BRASIL

MENINOS DE RUA E A EDUCAÇÃO NO BRASIL

“Na psicosfera de um ínclito roseiral encontramos flores radiantes, belas, depuradoras, perfumadas e renitentes. Nesse écran colorido e aferidor pensamos em mil amores, transformamos nosso afago, em desejos e delírios imanentes e na beleza das flores imantamos sensações estocantes, no murmúrio, no tugúrio de dois seres belos e pungentes”. (Antonio Paiva Rodrigues).

A palavra educação vem do latim, "Educere", que significa conduzir para fora, desenvolver habilidade. Educar vem do latim “Educare” que significa instruir, criar. A palavra é composta por ex (fora) e ducere (“guiar, conduzir, liderar”), ou seja, educar trazia a ideia de “Conduzir para fora”. Existem outras fontes que explicitam como “Extrair de dentro”. Se fôssemos dar uma missão a essa palavra, essa missão seria: “Preparar para o mundo”.

Nesses dois conceitos podemos avaliar a importância fundamental da educação para os seres hominais. É lamentável que nos dias atuais os governos estaduais e o governo Federal em nosso País não invistam maciçamente na educação. Para o aprendizado não existe limitação de idade, pois toda hora é hora.

A educação para muitas pessoas seria o processo pelo qual qualquer pessoa adquire conhecimentos gerais, artísticos, técnicos, científicos ou especializados, cujo intuito ou objetivo, seria a de desenvolver aptidões e através dessas nuanças a evolução tão sonhada ou propalada.  Segundo nos informa o site Kailo, quando falamos em processos de aprendizagem temos que atingir cinco níveis educacionais.

Níveis de conhecimentos: A percepção: quando notamos a existência de algo (por meio dos sentidos ou da mente), aqui, não há profundidade no conhecimento; nível do processamento: quando ocorre certa “digestão” (boa ou ruim) sobre um conteúdo, vivência. Normalmente acontece quando relacionamos o que foi recebido (em forma de aula ou experiência) com nossos conhecimentos, valores de vida, fatos passados entre outros.

Já no nível de memória: quando registramos as informações na mente, tornando-as fixas e dando a oportunidade de lembrança após determinado tempo (curto médio ou longo); nível de compreensão: quando o conhecimento está “preso”, aprofundado, faz parte da inteligência da pessoa. Ultrapassa o nível da memorização e já chega ao âmbito da qualificação genuína; nível de consciência: está um passo acima do compreender.

Aqui o conhecimento atinge um nível de capacitação, já é próprio da natureza do indivíduo, inerente a ele. Ao lembrar-se de nossas experiências ao ser “educado”, percebemos que, na maioria  das situações, chegamos até o nível da memorização. Ir além deste ponto não era fácil. Quem não se lembra de uma experiência desse tipo (?): matéria chata, com aulas maçantes, alunos desinteressados… porém valia nota e, esta, compunha o boletim. Qual a saída? “Decoreba”.

E, logo após poucas horas de “estudo”, íamos para prova e... Voilà! (lê-se vu a lá). Nota boa, mas conhecimento zero! Uma semana depois se fizéssemos a mesma pergunta da avaliação, não saberíamos N-A-D-A! Faz sentido?Observação: geralmente memória boa existe em máquinas. Daí, nesta linha de confabular sobre a educação e sua essência, entramos em contato com uma frase que muito elucida os desafios desta bela palavra: Diga-nos, e nós esquecemos. Mostrem-nos, e não nos lembramos. Envolva-nos e compreendemos. “Pais e educadores! Se o lar deve se entrosar com a escola, o culto do Evangelho em casa deve unir-se à matéria lecionada em classe, na iluminação da mente em trânsito para as esferas superiores da vida”, (Chico Xavier).

Em outras palavras, mais simples, educar os filhos seria fazê-los frequentar os cursos básicos, os cursos posteriores e se possível também nas faculdades, a fim de que eles adquiram cultura e um dia “se formem” tornando-se aptos para iniciar uma carreira e conquistar um bom lugar na vivência social. Esse processo importante poderá ser classificado como ato de instrução e será fundamental para o desenvolvimento educacional e cultural das crianças. Formar o homem é o termo mais profundo de educar.

Formar o homem é um aperfeiçoamento, cujos ajustes vão influenciar positivamente nos objetivos de progresso e equilíbrio social da humanidade. Essa responsabilidade é nossa, dos pais. A escola seria um complemento dessa educação, pois sozinhos a tarefa da educação não estará completa. Devemos sempre procurar uma boa escola para nossos filhos e nossa orientação é sábia e valiosa para que nossos filhos caminhem sempre altivos e cuja diretriz seja o bom aprendizado e um belo conhecimento das coisas.  

Se os pais não forem esclarecidos e interessados na evolução cultural de seus filhos a resultante poderá ser as ruas, uma péssima escola para qualquer ser humano. Na rua não se aprende nada que se aproveito. Os ensinamentos da rua terminam em violência, no vício, na prostituição e na drogadização. Meninos de rua – Vida sem destino e esperanças, sem alegrias e bonanças, acoplando anseios sacrossantos. Sem sapatos de pés calejados, rosto suado, maltrapilho, deifica a personalidade que roga.

No calor das metrópoles, na desilusão da vida sem rumante afetivo e carinhoso, só espanto. Espera o menino um destino caído do céu, para minorar as agruras do sofrimento no frio sem toga. Destino infeliz para uma criança cheia de esperanças, atordoada pela fome e o cansaço. Refém sem defesa do tempo, da rua, dos incrédulos, dos maliciosos que o julgam mal. Um ser sem defesa, sem esperança de uma vida melhor, entregue ao desalento e ao desamparo social. Se os governantes investissem no social, em especial na educação, os meninos de rua teriam um destino melhor, mais proveitoso e sem sofrimento causado pela miséria, pela fome e pelo descaso da família. Imagine: pois somente assim a arte do educar ultrapassa as barreiras de uma sala de aula. O aprendizado vai além daquele momento de troca e invade a vida, forma valores, desenvolve habilidades e talentos únicos.

Desperta paixões! Quando se trata de educação (na origem da palavra)… Misture instrução com descoberta, instigue com perguntas, diversifique os meios e as atividades, proponha desafios reais! Vamos preparar para o mundo e ao mesmo tempo estar mais preparados para ele! Algumas reflexões importantes: Qual o nível de envolvimento que os professores oferecem a seus alunos? Qual o nível de abertura que os alunos dão a isso? Qual o nível de envolvimento que as empresas oferecem a seus colaboradores na hora de fechar uma semana de treinamentos?

Qual o nível de envolvimento que gerentes e diretores proporcionam a suas equipes na tomada de decisão?Qual o nível de envolvimento que organizações dão aos estagiários e trainees para realizarem seus papéis?Todos nós, seres humanos estamos tendo e/ou teremos experiências que envolvam educação. Seja da ação mais básica até a mais complexa. Como estamos cuidando deste momento? A educação está sempre viva, isto é, não para e não existe idade para o aprendizado.

Nos dias atuais pessoas da terceira idade estão se especializando e se graduando em grande escala. São profissionais que em sua maioria trabalham durante o dia e estudam a noite. O analfabetismo é sinal de incapacidade governamental e um decréscimo no desenvolvimento intelectual e cultural de um País ou de uma nação. Refém da situação dolorosa, do destino ingrato, sonha com uma vida mais serena e sem embaraços. Como sofrem os desamparados, os abandonados, os estropiados, os meninos de rua. Na canga, na destinação que a vida lhe proporcionou pensa em silêncio num ser caridoso e cordial sem charrua. Que lhe subtraia do mal e some-o ao bem, e o entregue a alguém de bom coração para tosar seus pensamentos maldosos.

Os eméritos, os engalanadores propiciam diretrizes sem interstício, para que tenha pelo menos minutos laboriosos. Com extasia no rosto seja outro seja outro ser pequenino, mas com destino certo e confortante. Do destino insano, da companhia daninha se desfaça, sem masmorra e sem mordaça alcance a graça. De um dia integrar uma família exemplar que lhe dê educação e que possa retribuir com o amor expectante.

Trilhe o caminho da altivez, da regeneração, dos brios que enlevam o coração a uma louçã de bem-aventuranças. São as melhores situações de vida, educação, condição social, familiar que almejamos para todas as crianças, pois elas serão o futuro do Brasil. Que lindo é um sorriso estampado no rosto de uma criança. Faça uma criança de rua feliz. Uma obra para reflexão: “A Vida em Família” de Rodolfo Calligares, leia e faça bom proveito.  Um livro que não deve faltar em nenhuma família. Além de educar ensina como lidar com a educação dos filhos. Pense nisso!

ANTONIO PAIVA RODRIGUES-MEMBRO DA ACI- DA ACE- DA UBT- DA AVSPE- DO PORTAL CEN- DA AOUVIRCE E DA ALOMERCE.


Autoria e outros dados (tags, etc)

por paivajornalista@blogs.sapo.pt às 15:01

Quarta-feira, 17.07.13

O BELO UNIVERSO OBRA DE DEUS


Autoria e outros dados (tags, etc)

por paivajornalista@blogs.sapo.pt às 07:45

Quarta-feira, 17.07.13

O UNIVERSO MARAVILHOSO EM QUE HABITAMOS

O UNIVERSO MARAVILHOSO EM QUE HABITAMOS

“Pais e educadores! Se o lar deve entrosar-se com a escola, o culto do Evangelho em casa deve unir-se à matéria lecionada em classe, na iluminação da mente em trânsito para as esferas superiores da vida” (Francisco de Paula Cândido Xavier).

Esse local fabuloso, bonito, mas de uma complexidade grandiosa em que habitamos, denominamos de Universo. O espaço astronômico, sideral ou espaço astronômico e também o centro da Terra não são partes desse espaço geográfico. A Terra diante da grandeza do universo é vista como um ponto minúsculo. Esse universo é formado por bilhões de galáxias. O homem sempre esteve estudando as nuanças desse espaço de imensas proporções. Vale salientar que cada galáxia possui bilhões de estrelas e outros astros.

Essa imensidão assusta ao homem e a sua preocupação aumenta quando toma ciência, através de estudos, da grande distância entre um astro e outro. Essa medida é calculada em anos-luz. O sol é uma estrela de quinta grandeza que ilumina a Terra, em dimensões é 1.300.000 vezes maior do que o planeta. Já o satélite natural da Terra, a lua, é 80 vezes menor do que o nosso orbe. O universo é a totalidade do espaço e do tempo, onde encontramos todas as formas de matéria, energia e impulso, além das leis e as constantes físicas que os regem.

No entanto, o termo universo pode ser utilizado em diferentes sentidos contextuais ligeiramente, para se referir a conceitos tais como cosmos, mundo ou natureza. Planeta é um astro sem luz própria, que gira em torno de uma estrela (o sol), a luz e o calor vem dessa imensa e importante estrela. O Universo é o conjunto de tudo o que existe: planetas, estrelas, galáxias. São corpos celestes que integram o universo que nominamos de astros.

Os planetas estão assim distribuídos: Mercúrio, Venus, Terra, Marte, Saturno, Urano, Netuno e Plutão. As galáxias, não eram bem conhecidas e recebiam o nome de nebulosas, que são partes ou regiões do universo onde se agrupam bilhões de estrelas, astros, planetas, asteroides e satélites. Segundo estudiosos em astronomia o universo tem uma idade de 13,73 mais ou menos 0,12 mil milhões de anos, entre 13.730 e 13.810 milhões de anos. Medindo em anos luz o universo alcança 93 mil milhões de anos-luz de diâmetro.

Afirmam os cientistas, que o universo teria se formado através de um evento chamado de Big-Bang. Toda matéria e energia do universo estavam concentradas em um ponto de densidade infinita. Após o evento, o universo começou a se expandir para alcançar sua condição atual e contínua. O homem na sua desconfiança natural faria a seguinte pergunta: “De onde teria surgido essa matéria e energia concentradas no universo”? Do nada ou alguém teria criado tudo isso? Até agora uma resposta plausível não foi dada, pois no nosso entender tudo seria apenas suposições.

A teoria da relatividade especial diz que a matéria não pode mover mais rápido do que a velocidade da luz, pode até parecer paradoxal que dois objetos no universo podem ter sido separados 93000000000 anos luz em um tempo de apenas 13000000000 anos, no entanto, essa separação não entra em conflito com a teoria da relatividade geral, uma vez que só afeta o movimento no espaço, mas não o próprio espaço, que pode ser separadas uma da outra mais depressa do que a velocidade da luz, se o espaço entre eles, que se dilata. (Fonte Wikipédia).

Estrela é um astro luminoso, isto é, possui luz própria, formado principalmente por materiais gasosos (hidrogênio e hélio), com temperaturas elevadíssimas. No interior das estrelas ocorrem frequentes explosões que liberam altíssimas energias. Saibam que a temperatura no interior do sol, gira em torno de 20 milhões de graus Celsius. Nessa imensidão existem quantidades incalculáveis de estrelas de tamanhos superiores ao sol, pois o sol em comparação a outras estrelas de maior grandeza é apenas uma pequenina estrela, considerada de quinta grandeza.

Dando uma conotação mais explícita do que citamos nas entrelinhas Um ano-luz é uma unidade de distância,aproximadamente igual a 9,46 x 10 12  km  = 9460730472 580,8 km. Calcula-se que o comprimento que é executado por meio da luz num ano Um ano de luz é uma unidade de comprimento (uma medida do comprimento de todos Einsteiniana (espaço-tempo)). Cientistas em campos especializados é o preferido parsec (cerca de 3,26 anos-luz) e seus múltiplos para distâncias astronômicas.

 Enquanto que ano-luz é ainda comum em Popular Science e, alcance  unidades de comprimento também baseadas em outros períodos, como a segunda luz e minuto de luz, usado principalmente para descrever distâncias dentro do Sistema Solar, mas também muitas vezes restringir o trabalho de proximidade como contextos especializados, É a preferida unidade astronômica (aproximadamente 8,32 minutos de luz).

Mais especificamente, a um ano de luz é a distância que um fotão novácuo, durante um ano Juliano (365,25 dias de 86.400 s) se equipara a velocidade da luz (299,792. 458 m/s), a uma distância infinita, a qualquer campo gravitacional ou de um campo magnético. A galáxia onde todos nós habitamos é nominada de Via Láctea. Dela fazem parte o sol e a Terra. Existem na Via Láctea cerca de 150 bilhões de estrelas, incluindo o sol. Além dos planetas aqui citados é possível que existam outros. Segundo estudiosos a quantidade de galáxias existentes no universo pode ser calculada em torno de 100 bilhões, sendo a mais próxima da Via Láctea, as Nuvens de Magalhães. 

Vocês já ouviram falar nessa galáxia? Não. Ela está localizada a cerca de 180 mil anos luz. Falar do universo é um tema apaixonante, mas merece um estudo mais apurado, pois tudo é calculado em anos luz e pode dificultar o entendimento das pessoas que gostam de estudar o universo. É muito difícil conhecer as regiões mais distantes do universo. Segundo J, William Vesentini e Vânia Vlach a velocidade da luz é de 300.000km por segundo no vácuo, é uma velocidade máxima ou limite.

Isso quer dizer que é impossível qualquer objeto se deslocar a uma velocidade maior que essa. A maioria das estrelas encontra-se a milhões de anos-luz de distância. Isso impossibilita que o homem tenha ciência de tudo que acontece nesse universo maravilhoso. Existem estrelas e outros astros situados tão longe do universo que não podem ser observados nem com auxílio dos possantes telescópios. O nosso sistema solar é um sistema planetário, ou um conjunto formado por um astro maior, ou seja, uma estrela denominada de sol. A terra é o terceiro planeta mais próximo do sol.

Poderíamos ainda dar conotações sobre os planetoides, os cometas, os satélites, os meteoros. Falar mais explicitamente sobre o sol e a lua, bem como as fases do satélite natural da terra, os movimentos da Terra, mas precisaríamos de mais espaço e tempo. Poderíamos com certeza formar uma enciclopédia, no entanto, a nossa função é levar alguns conhecimentos de que seja essa monstruosidade de uma beleza incomensurável, o universo. Esse trabalho de pesquisa está destinado àqueles leitores que querem assimilar maiores conhecimentos sobre essa imensidão em que estamos vivendo no momento.

Achamos que esse universo é uma obra majestosa construída por “mãos” Divinas. Esse arquiteto nós poderemos afirmar que é Deus. Sem ele nós não seríamos absolutamente nada. O Sol e a Lua são os dois astros que exercem maior influência sobre a Terra. Sem o sol não haveria vida em nosso planeta. Falando algo sobre a Terra diremos que ela tem a forma arredondada, mas não é uma esfera perfeita. Ela é ligeiramente achatada nas regiões polares (Norte e Sul). A linha do Equador também faz com que a Terra tenha essa forma A linha do Equador divide a Terra em duas partes iguais. No Equador, o diâmetro terrestre é de 12.756 quilômetros. Já na altura dos polos, é de 12.713 km. 

O perímetro da Terra, a sua circunferência, que alguns chamam de “cintura” do planeta, no Equador, é de 40.075 quilômetros, e nos polos é de 39.940 km. As citações aqui expostas mostram que os cientistas já alçaram um voo muito alto, pois as dimensões aqui expostas são verdadeiros cálculos matemáticos, no entanto, não sabemos se correspondem a realidade, mesmo assim já é um avanço muito grande para futuros voos em busca de uma penetração mais profunda no imenso universo. Pense nisso!

ANTONIO PAIVA RODRIGUES-MEMBRO DA ACI- DA ACE- DAUBT- DA AVSPE- DO PORTAL CEN- DA AOUVIRCE E DA ALOMERCE.






Autoria e outros dados (tags, etc)

por paivajornalista@blogs.sapo.pt às 07:43

Segunda-feira, 15.07.13

SEXO NA GRÉCIA ANTIGA


Autoria e outros dados (tags, etc)

por paivajornalista@blogs.sapo.pt às 19:02

Segunda-feira, 15.07.13

O QUE É MAIS IMPORTANTE DO QUE À VERDADE?

O QUE É MAIS IMPORTANTE DO QUE À VERDADE?

“A comunhão sexual injuriada ou perfidamente interrompida costuma gerar dolorosas repercussões na consciência, estabelecendo problemas cármicos de solução, por vezes, muito difícil, porquanto ninguém fere alguém sem ferir a si mesmo”. (Chico Xavier).

O sexo é fundamental na vida do ser humano e dos animais, É a forma de procriação e perpetuação da espécie, Uma das mais antigas religiões repassa para seus fiéis, que todo ser humano nasce com pecado. Esse pecado na Igreja Católica Apostólica Romana (ICAR) nomina-se de pecado original, como se todos nós seres humanos nascêssemos através do pecado. Da mesma forma e do mesmo “Modus Operandis” todos os seres vivos nascem assim.

Será que os animais também nascem com o malogro do “pecado original”? O malogro tem como sinonímia o ato ou efeito de malograr, revés, frustração, A definição de malogro baseado na gramática é uma classe gramatical de malogro – Substantivo masculino e acrescentam-se as definições de droga, falha, fiasco, insucesso, revés e transtorno. Será que Deus criou a sexualidade com todos esses pormenores negativados, A Igreja Apostólica Romana foi fundada em 381 depois de Cristo; através do decreto Imperial “Cunctus Populos”, com os povos, pelo Imperador Teodósio I. Dizer que todo ser vivo nasce com pecado é heresia. A Bíblia pode ser vista por três maneiras: literal, simbólica e alegórica.

Certas passagens da Bíblia têm que ser analisadas com extrema cautela, pois se a análise não for feita com o devido cuidado, estaremos sujeitos a erros imperdoáveis.  A relação sexual entre cônjuges constitui-se ou deveria constituir-se a expressão máxima do amor e não simples fonte de prazer. Aliás, o sexo proporciona prazer, no entanto, ele não deve ser objeto de prostituição, uma maneira horrenda de ganhar dinheiro pela venda do corpo da mulher e também a exploração do corpo do homem, de crianças e adolescentes. O ajustamento sexual entre os cônjuges deve estar sempre em alta. “Segundo “As flores de Malva” quando se junta “sexo” e Grécia Antiga”, de pronto vem a nossa cabeça, a velha crença de que os gregos eram todos chegados em transar com garotinhos.

Esse aspecto é considerado um dos grandes equívocos perpetrados pela história. As informações abaixo foram recolhidas do livro “Amor, Sexo e Casamento na Grécia Antiga”, de Nikos Vrissimtzis. Referem-se basicamente aos atenienses da elite e algumas de suas afirmações, como a total submissão da mulher na antiguidade grega, são questionadas por outros autores. E, cá entre nós, na vida cotidiana as coisas nunca são tão simples quanto nas páginas dos livros. Iremos citar algumas sinonímias relacionadas ao sexo na antiguidade.

Ser passivo era vergonhoso – a homossexualidade masculina entre dois homens era inaceitável socialmente, o que não quer dizer que não existia. Tal como no caso dos romanos, o passivo era o alvo da condenação e da vergonha, porque ser penetrado remetia a um papel feminino de submissão, aliás, entre as piores ofensas que se poderia fazer a um cidadão estavam “depravados” e “ânus largo”. Na Grécia Antiga a pederastia não tinha nada a ver com o sexo. Há uma tremenda confusão a respeito da pederastia entre os gregos, que mereceria uma postagem específica, por ser cheia de sutilezas e regras.

A pederastia não tinha nada a ver diretamente com homossexualidade nem com pedofilia, do modo como às entendemos atualmente. Era uma ligação de afeto de um homem adulto livre e da elite por um garoto, que tinha função pedagógica na formação de um cidadão da aristocracia. É claro que às vezes rolava sexo e paixão, mas nem por isso a prática era aceita socialmente ou tolerada pelo Estado. Seria inaceitável submeter um filho de família importante à penetração, por exemplo, porque era considerado um ato de violência. Fosse na vagina, no ânus ou na boca, só às mulheres a submissão de serem penetradas seria apropriada. As gregas usavam um pênis artificial feito de couro macio, o ólisbos, fabricado na próspera cidade de Mileto e exportado para várias regiões. Não se sabe se o dildo era usado nas relações homossexuais femininas, mas com certeza era usado pelas hetairas, prostitutas de luxo, durante suas apresentações de danças eróticas nos banquetes. Falando nos banquetes, a partir do século VI A.C. começaram a aparecer nos vasos e relevos cenas de orgias com sexo oral, anal, ménage à trois, sadomasoquismo, envolvendo homens adultos e hetairas.

Essas surubas não eram amplas, gerais e irrestritas; ao contrário, eram praticadas nos banquetes, no meio da bebedeira, e tinham lá suas regras. Por exemplo, não há uma única cena de homossexualismo e nos chegou apenas uma única cena de um homem fazendo sexo oral em uma mulher. .Mulheres e crianças, fossem livres ou escravas, eram protegidas do estupro por lei. O agressor pagava multa duplamente, à vítima e ao Estado. A circuncisão era considerada grotesca e vergonhosa por gregos e romanos. Os romanos tinham até um “apelido” mimoso para estrangeiros circuncidados: “esfolados”.

Os primeiros prostíbulos “oficiais” foram instituídos em Atenas por Sólon, que usou os tributos recolhidos para construir um templo para Afrodite Pandemia, deusa que velava pela prostituição. A ideia era deixar o sexo à disposição dos jovens para preservar as mulheres respeitáveis do adultério. Essas prostitutas comuns eram escravas, ex-escravas, estrangeiras livres e meninas abandonadas pelos pais, bem como filhas de prostitutas. Era crime alguém incitar uma mulher ateniense à prostituição, bem como vender filhas ou irmãs que fossem cidadãs atenienses. Em grego, a palavra “prostituta” épórne, que significa “aquela que está à venda”.

Daí deriva as palavras “pornografia” e “pornográfico”. Na rica cidade de Corinto, havia a prostituição sagrada, prática que vinha de sociedades agrárias. As servas sagradas pertenciam a templos dedicados à deusa do amor por toda a vida. Sua função era fazer sexo com quem pagasse, sendo que o dinheiro ficava para o templo. Acreditava-se que assim estaria garantida a fertilidade das mulheres e da terra. Num templo de Afrodite havia mais de mil servas sagradas. E era um serviço caro. As hetairas eram prostitutas de luxo, consideradas companheiras dos homens nas ocasiões em que esposas, filhas e irmãs eram excluídas, devido à rigidez dos costumes em relação às mulheres.

Aliás, ao contrário das hetairas, esposas, filhas e irmãs de cidadãos livres eram pouco instruídas. As prostitutas de luxo eram belas, educadas, tocavam instrumentos musicais e dançavam. Muitas acompanhavam os debates filosóficos com perspicácia e competência e algumas foram companheiras e/ou discípulas de filósofos, políticos e pessoas influentes. Eram tremendamente bem pagas, viviam em mansões e acumulavam fortunas. Sua origem, porém, era a mesma das prostitutas comuns. Não há indícios de que Safo atualmente considerada quase que a sacerdotisa do amor homossexual feminino, fosse lésbica, a não ser que usemos a palavra para designar sua origem (a ilha de Lesbos).

A poesia de Safo nos chegou de forma muito fragmentária, mas sabe-se que fazia poemas em homenagem a cada aluna que entrava ou saía da escola para meninas que mantinha (ao contrário do restante da Grécia, havia uma relativa liberdade para mulheres naquela região). Esses fragmentos de poemas podem ter dado origem à crença de que Safo tinha relacionamentos amorosos com mulheres, mas ela também escreveu sobre solidão, velhice, amor e separação. O que se sabe é que Safo foi casada, provavelmente teve uma filha e se matou por causa da rejeição de um homem.

A história sobre esse comportamento sexual é tão vasto que não daria para fazermos conotação numa matéria expositiva. São essas práticas que desabonam a conduta de homens e mulheres e quiçá a formação familiar, principalmente quando as famílias são constituídas com excelentes estruturações e possuem crianças e adolescentes em seu rol. O afeto, o amor, a amizade são pontes fortes de qualquer família. Fusionar é executar a fusão de; fundir; amalgamar; confundir.
Reunir, em um só grupo, uma única sociedade, um só partido.
Reunir-se, associar-se, fundir-se.

Não estamos nessa dissertação discriminada ninguém ao levar ao conhecimento do público leitor o que acontecia em termos de sexo desabrido na Grécia Antiga. Cônjuge é a pessoa que em relação à outra com quem vido de modo matrimonial; cada um dos esposos ou esposas em relação ao outro. Etimologia do latim: conjux. ugis. O sinônimo de Cônjuge é consorte. O êxtase da possessão mútua completa era a maneira mais sublime de os cônjuges se demonstrarem afeto, amor, união, compreensão, nem atestado mais eloquente do fusionamento integral de suas personalidades era maior do que o êxtase da possessão mútua completa. O ato sexual, jamais será imoral e repulsivo, nem quando existem abusos.

O abuso normalmente leva ao vício, a luxúria, que se deva malsiná-lo, deixando de reconhecer a alta contribuição que oferece à felicidade conjugal. Muitos usam o sexo para faturar. Essa atitude leva a mulher a se prostituir por dinheiro, é nessa oportunidade que o sexo perde a sua finalidade precípua e passa a ser comércio sexual. Uma sociedade bem estruturada segue as regras e não deixa que o seio familiar seja dissolvido como um velho sonrisal num copo d’água. A vida árdua nos cansa, deprime, nos estressa apregoando culpabilidades que machucam, descortinando o véu da esperança... Invade-nos o coração sem maldades, as bem-aventuranças são alegrias que irradiamos com constância. Credenciando-nos ao convívio da cristandade, da fraternidade ao sabor do amor, da amizade iluminando noções de felicidades. Sensações alegres e tristes desnorteiam os azimutes divinais sacrossantos que sumarizam, mas deificam o amor desencantando as emoções... Dessa maneira e através da felicidade precípua e do amor carnal e fraterno com reciprocidade é que se formam as famílias felizes e organizadas. Pense nisso!

ANTONIO PAIVA RODRIGUES-MEMBRO DA ACI- DA ACE- DA UBT- DA AVSPE- DO PORTAL CEN- DA AOUVIRCE E DA ALOMERCE,

 



 


Autoria e outros dados (tags, etc)

por paivajornalista@blogs.sapo.pt às 18:57

Domingo, 14.07.13

CONTROLE EMOCIONAL E DESCONTROLE EMOCIONAL


Autoria e outros dados (tags, etc)

por paivajornalista@blogs.sapo.pt às 18:11



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Julho 2013

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031