Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

PAIVAJORNALISTA

Esse blog tem uma finalidade muito importante, isto é, levar aos conhecimentos dos leitores e amigos os mais diversos assuntos relacionados com o nosso dia a dia. Crônicas, Artigos, Poemas, Poesias, Atualidades, Política entre outros.



Quarta-feira, 06.06.12

OS MISERÁVEIS SÃO AS CRIANÇAS E A POPULAÇÃO DE UM MODO GERAL


Autoria e outros dados (tags, etc)

por paivajornalista@blogs.sapo.pt às 08:56

Quarta-feira, 06.06.12

OS MISERÁVEIS RICOS E OS SOFREDORES POBRES


OS MISERÁVEIS RICOS E OS SOFREDORES POBRES
“Quando ajudamos aqueles que estão passando por grandes sofrimentos e, a certa altura, nos sentimos estafados, exaustos e desanimados, é melhor, para o bem de todos, que nos afastemos e recuperemos as forças. O importante é manter uma perspectiva de longo prazo.” (Dalai-Lama).
Infelizmente a política brasileira está infestada de miseráveis ricos e o Brasil, em sua maioria de sofredores pobres. Não queremos dizer em nossa afirmação que todos os políticos sejam miseráveis, pois ainda temos políticos honestos para nos defender. O político pretensioso em véspera de eleição torna-se um ser político cordial, não entra em desalinho, têm suas diretrizes bem traçadas, mas seu ego já sabemos como é.

A maioria dos que nos representarem até hoje e que almejam reeleição vivem sobejamente colocando o eleitor na canga, na bancarrota, sem aguilhão, pois a maioria está acumpliciada com sua inseparável e gorda conta bancária. São ególatras, julgam-se eminentes, não vislumbram escolhos e quando reeleitos o planejamento diabólico e o esfacelamento crucial do povo brasileiro, em especial os que tiveram a sorte de nascer na Região Nordeste. Seus discursos são verdadeiras epístolas, cheios de estereótipos sem noção nenhuma a etiologia do sofrimento dos pobres que é maioria no País que nos acolheu como filhos.
O paradoxo talvez seja a sinonímia mais presente na vida política, quando querem se locupletar não titubeiam metendo as mãos nos cofres públicos sem dó e piedade. Recentemente assistimos a um vídeo que mostrava o drama dos nordestinos assolados pela seca cruel, a maior dos últimos 40 anos. O cenário era de tristeza. Crianças carregando outras crianças e uma vasilha para enchê-la de água, para saciar a sede e cozinhar a pequena quantidade de arroz e feijão que tinham em casa.
A seca quando atinge os estados do Sul a remessa de dinheiro para os sulistas é imediata, enquanto isso vão enganando os pobres nordestinos com carros pipas. Esse vídeo me fez lembrar um nome que significa o desaguar de muita água, cachoeira. No Brasil, cachoeira representa contravenção, desvio de dinheiro, formação de quadrilha, lavagem de dinheiro, locupletação, proveito próprio, prática de jogos de azar. Quando a Polícia Federal com permissão judicial vasculha a vida de corruptos insanos a desculpa parece patológica, pois o psiquismo é “afetado”- e os envolvidos afirmam ser inocentes e que não roubaram nada.
Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) é apenas uma ação renitente que não julga ninguém e a força motriz é só ganhar tempo empurrando os processos com a barriga. Maria Lúcia Victor Barbosa, em sua matéria publicada em 01/06/2012 fala sobre o ex-presidente Lula e o capitão Simone Simonini. “É sabido que a arte imita a vida e muitas vezes uma obra literária revela mais do que um tratado. Assim, quem ler O Cemitério de Praga, livro mais recente do notável escritor e pensador, Umberto Eco, sem dúvida fará um paralelo com o que se passa na política brasileira em termos de essência, é claro, e não de cenário histórico com costumes e personagens próprios de uma época”.


Nesta obra Umberto Eco conduz o leitor a uma vertiginosa aventura entre intrigas, calúnias, crimes, traições, conspirações. Destaca-se a sordidez própria das tramas presentes nos jogos do poder, sendo que o personagem principal, capitão Simone Simonini, que conduz o enredo é o velhaco por excelência, o ardiloso falsificador, o traidor que oscila entre facções, o cínico que justifica todos seus atos, o frio calculista, o impiedoso carrasco dos adversários.
Enfim, Simonini, que tem personalidade dupla é um tremendo mau-caráter, um inescrupuloso, um corrupto que se vende e serve a quem lhe pagar mais. Estas características não parecem familiares aos que me leem? Não vem à mente determinados tipos que transitam com desenvoltura por nossa ribalta política? É a selva humana em ação onde prevalece como mostrou Maquiavel, “a força do leão ou a astúcia da raposa”. Os leões e as raposas podres de ricas e as vítimas pobres miseráveis, que além de ganharem merrecas não tem direito à educação, moradia, saúde e segurança pública.


Um ex-metalúrgico, sindicalista, consegui chegar à presidência da República, e pasmem a sua riqueza hoje é incalculável e, com ele quase toda a família. Seria Lula o personagem Simonini do escritor Umberto Eco? Tem todo para ser. Continua a escritora: “Naturalmente, nem todos que foram pobres e que tiveram o mérito de ascender na escala social agem desse modo”.

Exemplo disso, o ex-presidente Juscelino Kubitschek de Oliveira. Lula, contudo, não subiu por mérito e sim por sorte, sendo sua escola a sindical onde aprendeu tretas e mutretas dignas do capitão da ficção de Umberto Eco”. Matreiro, Lula é confundido com gênio da política e sua verborragia cheia de impropriedades linguísticas, gafes, palavrões, piadas de mau gosto é saudada como identificação perfeita com o povo. Ele se move pela lei da desforra do que foi e apesar da arrogância, da fanfarrice, da vaidade desmesurada, no fundo é um recalcado com complexo de inferioridade que precisa constantemente de holofotes, aplausos, premiações, títulos, para se sentir bem.

Compara-se a Jesus Cristo, Tiradentes, Juscelino e se gaba de ser o melhor presidente que o mundo conheceu o descobridor  do Brasil que antes dele não existia, o salvador dos pobres e oprimidos. Salvador de pobres ele nunca foi, visto que a pobreza aumenta a passos lar sem que nenhuma autoridade de bom senso possa contê-la. As fronteiras que o Brasil faz com os aliados de Lula são verdadeiros paraísos abertos para a entrada de todo tipo de droga que venha da Venezuela, Colômbia e Paraguai. A sua sucessora segue-lhes os passos. Afirmou em alto e bom som que acabará a pobreza no Brasil em quatros anos. Pode Freud?
A famosa CPI do Carlinhos Cachoeira tem causado muitas arruaças e a quem diga que na campanha para presidência da República, Carlinhos teria repassado dinheiro para o comitê de Dilma. Lula foi pedir ao ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Gilmar Mendes, para adiar o julgamento dos mensaleiros. Há algum tempo a mídia brasileira colocou a idéia da diminuição do tamanho do Estado no ar. Em debates que se sucederam, esqueceu-se da sua função, ou seja, do poder de intervir na economia e da propriedade  das forças de oposição e do governo, levando a Nação a chegar ao bom termo social e econômico. A imoral “Comissão da Verdade” foi criada com intuito único de punir os militares das FFAA (Forças Armadas).
Devemos colocar todos os políticos corruptos no Umbral, para que eles possam pagar por suas mazelas, suas ganâncias, invejas e o gosto incontrolável pelo dinheiro público. Vejam a barbaridade: “Corre nos subterrâneos do Congresso que Gilmar teria viajado à Alemanha na companhia de um amigo íntimo: Demóstenes Torres”. A dupla teria voado em avião provido por Carlinhos Cachoeira, amigo íntimo do amigo íntimo de Gilmar. Gilmar confirma o encontro com Lula. Corrobora também o conteúdo da conversa. “Fiquei perplexo com o comportamento e as insinuações despropositadas do presidente Lula”, disse.
Admite que esteve com Demóstenes em Berlim. Mas declara que pagou suas despesas e tem como demonstrar. Na sua versão, o ministro disse a Lula que ele poderia “ir fundo na CPI.”. Lula manifestou o desejo de empurrar o julgamento do mensalão para depois das eleições municipais de outubro. Chegou mesmo a dizer, conforme a reportagem de Veja, que “o Zé Dirceu está desesperado”. José Dirceu, amigo íntimo de Lula e um dos 38 réus do mensalão, figura no processo como “chefe da quadrilha”.
O pretendido adiamento não seria providência trivial. Poderia significar a prescrição de vários crimes”. A Revista Veja tem feito marcação cerrada em cima de Lula e afirma: “Hoje a famosa frase que causou tanta indignação na época certamente não provocaria a mínima repercussão nem atiçaria o brio dos mais aguerridos nacionalistas. Teríamos de baixar a cabeça- resignados e concordar plenamente com a afirmativa. As infindáveis “maracutaias” que permeiam pelos corredores Palacianos, pelas tribunas do Legislativo e Judiciário trazem à baila o pensamento do imortal Rui Barbosa pronunciado em pleno Senado Federal, quando a sede deste, era ainda no Rio de Janeiro”.
Os três poderes, corrompidos nas suas bases, transformaram nossa Nação num enorme Prostíbulo onde aqueles que detêm o poder político ou econômico determinam os rumos a seguir mesmo que estes atentem contra o bom-senso, a lei ou a ética. Tudo acontece sem que a mídia amestrada e subjugada, por interesses meramente comerciais, se manifeste, sem que a população subornada pelas famigeradas “bolsas” se levante.

O general de Gaulle teria dito certa época “o Brasil não era um país sério”. Na realidade o autor da frase é o embaixador brasileiro na França, Carlos Alves de Souza Filho. Tem muito sujeira debaixo do tapete da Câmara e do Senado Federal que precisa vir a tona, ainda hoje não se entende a absolvição do senador José Sarney dos processos que pesavam em suas costas. Uma simples decisão do presidente da Comissão de Ética do Senado livrou Sarney de todos os processos em que estava envolvido. Só uma perguntinha para encerrar: Quando os políticos brasileiros irão amenizar o sofrimento de nossos irmãos nordestinos em época de seca? Pense nisso!

ANTONIO PAIVA RODRIGUES- MEMBRO DA ACI- DA ALOMERCE- DA UBT- DA AVSPE- DA ACE E DA AOUVIRCE

Autoria e outros dados (tags, etc)

por paivajornalista@blogs.sapo.pt às 08:53

Quarta-feira, 06.06.12

O IDEAL DA MAIORIA DOS CORRUPTOS DO BRASIL


Autoria e outros dados (tags, etc)

por paivajornalista@blogs.sapo.pt às 08:14

Quarta-feira, 06.06.12

HERANÇA OU PRESENTE?


HERANÇA OU PRESENTE?

“A bondade é a pedra angular da paz e harmonia familiar. As famílias que estão no exílio precisam ensinar essa virtude aos seus filhos. Elas devem ser o primeiro guia espiritual das crianças.” (Dalai-Lama).

O presente e a herança não se resumem somente a materialidade. A maior riqueza que podemos deixar para nossos filhos e netos é a educação familiar e a social.  Os pais pelo pátrio poder são os responsáveis por suas crias, quaisquer deslizes que eles cometam, os pais assumem responsabilidades. “A todo aquele há quem muito foi dado muito será exigido”, Lucas, 22:48. Nunca permitas que as normas disciplinares te conduzam a trocar a exigência pela intransigência. Quando não afiras a informação que te chega pela boca preconceituosa de outrem e, com base nela , acredites, julgues e condenes. Devemos estar sempre bem informados sobre os acontecimentos do dia a dia, como presentes e vigilantes nas atitudes comportamentais de nossos herdeiros, qualquer que seja a idade. Diálogo sempre, e que seja esclarecedor, jamais permitas que a complementação impaciente, quebre a sua palavra ou ordem. A degradação social por qual passamos, parte da culpa está sobejamente norteada na falta de educação da nossa sociedade. Os níveis de consciência do homem caíram assustadoramente. O egoísmo, a inveja e o orgulho falam mais alto sempre.


As mudanças radicais com a passagem inexorável do tempo, as tecnologias colocadas à disposição do homem, em grande parte são benéficas, no entanto, pode deixar o ser escravo da sua própria evolução. O amor, o companheirismo, a ajuda, a fraternidade, a caridade estão ausentes do coração hominal. Sem esses apetrechos jamais levaremos uma vida saudável e a ambição pode nos levar ao caos total.  Desejaríamos que nossos representantes políticos ao dirigir-nos a palavra procedessem com confissão sincera, para que nós pudéssemos analisá-la e, ao invés, proferir comentários irônicos, preconceituoso, usássemos a ética como indícios de uma boa educação. Essa atitude não é impossível, desde que ajam com boa vontade e respeito mútuo. A ciência política quando se aprende nos bancos das universidades é fabulosa, mas como a maioria de nossos políticos não a possui, eles permutam a política, pela politicagem e o resultado é drástico.  Falta preparo e diálogo, sinceridade e respeito para com a população. As cenas acaçapantes envergonham até o mais simples trabalhador brasileiro. Falta honestidade, princípio e ética. A diretriz principal é a locupletação. Do governo Sarney até o atual, o azimute quebrou, esfacelou-se e à vontade de mamar nas tetas da União é descomunal. Se os que agem assim fossem punidos, a situação do País seria outra. Quando o seu irmão de jornada se exponencia e lauriza, premiado por seu esforço laborativo e estudantil, não o inveje, nem busques denegri-lhe a imagem, epicentrando pseudos ou reais defeitos. Porque epicetramos a maioria de nossos políticos como a ferrugem que destrói, como cupins avassaladores? Fazemos isso, em virtude da maioria não ser detentora de dignidade e a locupletação, o desvio de verbas, a exacerbação das fraudes permeia a massa cinzenta dessa malfadada classe de politiqueiros.

Nós eleitores oferecemos o voto valoroso e depois entramos em conflito por achar que o candidato escolhido não mereceu a nossa confiança. As aves de rapina do Congresso brasileiro estão sobrevoando e marcando os pontos fortes, onde devem atuar. As licitações, a lavagem de dinheiro, o contrabando, o tráfico são as suas presas favoritas. As hienas estão apostas para abocanhar a carniça. Ressalte-se que a carniça tem um sentido diferente para eles. Carniça é sinal de riqueza fácil, dinheiro ganho sem esforço, ganhos com contravenção, enfim o ilícito é geral e anormal. Eis o problema de falta de consciência. O político deve passar por três crivos importantes: de quem recebe? Porque recebe?  E para quem se destina? Se a destinação é sua conta bancária, o sofrimento do brasileiro aumenta, a miséria fomenta as famílias brasileiras. A miséria é o primeiro passo para a violência e a drogadização.


Setenta por cento da população brasileira ganha até três salários mínimos e, uma grande maioria vive abaixo da pobreza, com uma renda mensal de R$ 70 reais. O mais triste e horripilante, sem educação, sem moradia, sem saúde e sem segurança. Nós somos “os sem” com certeza. As águias (Designação comum a várias aves de rapina de grande porte, diurnas, da ordem dos Falconiformes, notáveis pelo seu tamanho, força, figura imponente, agudeza de vista e voo poderoso. Homem de alto engenho ou de grande perspicácia. Pessoa atilada, astuta; espertalhão, devoram tudo e não nos restam nada). Precisamos mudar urgentemente essa psicosfera de sofrimento recheada de lágrimas, de dor e constrangimento. Aqueles que aderiram ao ócio, que preencham seu tempo com coisas úteis. Que o passar do tempo possa burilar a alma de nossos representantes aos olhos de Deus e aos nossos olhos. A sujeira é enorme e uma grande varredura se faz necessária urgentemente. Ah! Se os rios, riachos e cachoeiras do Nordeste brasileiro tivessem a mesma força que tem um - Cachoeira que vem fazendo estragos homéricos na Câmara e no Senado Federal. Se o dinheiro afanado pelos mensaleiros fosse destinado à educação, a moradia e a segurança, a nossa situação seria outra. Se as indenizações milionárias pagas por supostas torturas beneficiassem as famílias pobres brasileiras, o sorriso das crianças seria um constante nesse país.


Se os anões do orçamento e a infinidade de corruptos devolvessem o que afanaram de nossos impostos pagos fossem revertidos em medicamentos, material escolar, em UTIs, em cestas básicas, os céus brasileiros teriam mais brilhos, a tranquilidade voltaria a reinar em nossa pátria, e a população poderia usufruir dessas benesses ao andar mais tranquila pelas ruas e avenidas da cidade, bem como poderiam conversar tranquilamente em suas calçadas. A situação sofrível de nosso povo cessaria e a felicidade, a alegria, o sorriso nos rostos das crianças seria a esperança alcançada por todos. É possível alcançar todas essas nuanças? Claro que sim. Desde que haja honestidade, ética, e o dever moral do político para com a população. Tratar o povo com respeito e dignidade não é favor e sim obrigação. Pense nisso!


ANTONIO PAIVA RODRIGUES- MEMBRO DA ACI- DA ACE- DA UBT- DA AVSPE- DA ALOMERCE E DA AOUVIRCE




Autoria e outros dados (tags, etc)

por paivajornalista@blogs.sapo.pt às 08:11


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Junho 2012

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930