Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

PAIVAJORNALISTA

Esse blog tem uma finalidade muito importante, isto é, levar aos conhecimentos dos leitores e amigos os mais diversos assuntos relacionados com o nosso dia a dia. Crônicas, Artigos, Poemas, Poesias, Atualidades, Política entre outros.



Terça-feira, 23.06.09

...

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5350584993074339874" />

Autoria e outros dados (tags, etc)

por paivajornalista@blogs.sapo.pt às 11:01

Terça-feira, 23.06.09

AMOR DE JESUS

AMOR DE JESUS

O amor de Jesus está implícito no coração de todos nós, mas o ser hominal pela sua imperfeição e teimosia não leva nada a sério. Faz o que vem na cabeça, agindo pelo instinto animal querendo mostrar sua força perante o seu semelhante. O resultado na maioria das vezes é catastrófico. O amor ao semelhante está imantado em quase todas as religiões. A doutrina de Jesus está repleta de nuanças consoladoras, onde predomina o bem em detrimento ao mal. Analisando alguns aspectos por inteiro, e tomando como base o comportamento hominal o homem mostra que não possui script, visto que esse é o sentimento por excelência. Os sentimentos são os instintos elevados à altura do progresso feito e por viver num mundo aberto está sujeito a todas as aberrações que encontra no seu convívio e no meio em que vive.

Sendo o homem o produto do meio, temos que analisar com profundidade que este meio é construído por ele próprio. Daí a origem de sua personalidade e imperfeição. “Dizem alguns estudiosos e pessoas de bem que em sua origem, o homem só tem instintos; quando mais avançado e corrompido, só tem sensações; quando instruído e depurado, tem sentimentos. E o ponto delicado do sentimento é o amor, não o amor no sentido vulgar do termo, mas esse sol interior que condensa e reúne em seu ardente foco todas as aspirações e todas as revelações sobre-humanas. Bela afirmação que compilei para abrilhantar esta matéria de suma importância para os encarnados e neste rol inclui também os trabalhadores da última hora e os homens de boa vontade.
O que entendemos por Lei do amor? “A lei de amor substitui a personalidade pela fusão dos seres; extingue as misérias sociais. Ditoso aquele que, ultrapassando a sua humanidade, ama com amplo amor os seus irmãos em sofrimento! Ditoso aquele que ama, pois não conhece a miséria da alma, nem a do corpo”. Nas sociedades escravistas da Antiguidade clássica estão às origens da chamada cultura ocidental, nosso universo mental tem suas raízes no modo de vida das sociedades gregas e romanas. O que significa isto para nós? Mostra que nossa forma de observar o mundo, o de raciocinar e de agir evoluem a partir do que os grandes pensadores gregos nos deixaram. Se já relatamos que vivemos em épocas de crise de todos os matizes, não seria útil para nossa compreensão a nossa problemática atual. Devemos procurar a todo custo conhecer as origens de nosso pensamento e de nossa cultura mental e associá-las ao amor de Jesus Cristo.

“Tem ligeiros os pés e vive como que transportado, fora de si mesmo. Quando Jesus pronunciou a divina palavra amor, os povos sobressaltaram-se e os mártires, ébrios de esperança, desceram ao circo. O Espiritismo a seu turno vem pronunciar uma segunda palavra do alfabeto divino. Estai atentos, pois que essa palavra ergue a lápide dos túmulos vazios, e a reencarnação, triunfando da morte, revela às criaturas deslumbradas o seu patrimônio intelectual. Já não é ao suplício que ela conduz o homem: condu-lo à conquista do seu ser, elevado e transfigurado. O sangue resgatou o Espírito e o Espírito tem hoje que resgatar da matéria o homem”. Passagem muito bonita e que reflete a realidade da Doutrina espírita em nossas vidas. O amor de Jesus não tem crença, nem classe social ele ama o próximo, o irmão como está nos dois mandamentos que ele criou quando da sua profetização. “Ele disse: Eu não vim mudar a Lei e sim dá-la cumprimento, mas na realidade mudou, pois transformou os dez mandamentos trazidos por Moisés do Monte Sinai em dois”. “Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a ti mesmo”.

“Disse eu que em seus começos o homem só instintos possuía. Mais próximo, portanto, ainda se acha do ponto de partida, do que da meta, aquele em quem predominam os instintos. A fim de avançar para a meta, tem a criatura que vencer os instintos, em proveito dos sentimentos, isto é, que aperfeiçoar estes últimos, sufocando os germes latentes da matéria. Os instintos são a germinação e os embriões do sentimento; trazem consigo o progresso, como a glande encerra em si o carvalho, e os seres menos adiantados são os que, emergindo pouco a pouco de suas crisálidas, se conservam escravizados aos instintos. O Espírito precisa ser cultivado, como um campo. Toda a riqueza futura depende do labor atual, que vos granjeará muito mais do que bens terrenos: a elevação gloriosa”.

“E então que, compreendendo a lei de amor que liga todos os seres, há nela os gozos suavíssimos da alma, prelúdios das alegrias celestiais”. Para não cometer falso testemunho queria dizer que estas últimas inserções foram absorvidas por minhas pesquisas, achei maravilhosa e na ânsia de anotá-las esqueci de batizá-la dando o nome do autor. Por isso peço mais uma vez minhas desculpas.

O Espiritismo redivivo mostra com todas as nuanças quais os reflexos que o organismo humano sofre através das alterações químicas irreversíveis. Mesmo nas mortes causadas por acidentes, mais muito quando uma doença fatal ataca o corpo. Esteja sempre amando Jesus colocando-o em seus corações e repassando seus ensinamentos, orando, fazendo preces pelos mais fracos e oprimidos fatalmente estarão vacinados contras a maioria das doenças oportunistas. “Fora da caridade não há Salvação” é o lema da doutrina mais bela e a que mais cresce no Brasil e quiçá no mundo.
Amemos, perdoemos, esta é nossa missão sublime. São belos ensinamentos do Mestre Jesus que devemos transformá-los em amor. Procurai com zelo seguirdes os ensinamentos orientadores do Evangelho, visto que eles exprimem a Lei de Deus na sua mais ampla expressão. A ela deveis submeter vossas vontades e caprichos, de modo a domá-las conforme a bandeira maior do Espiritismo. Conhecemos o verdadeiro espírita pelos esforços em dominar suas más tendências. A vacina, o antídoto para este mal está a nossa disposição a toda hora, o dia todo, o amor incondicional a Jesus. Quem ama o Mestre por extensão recebe as benesses do Pai Todo Poderoso, nosso querido Deus. Pensem nisso!

ANTONIO PAIVA RODRIGUES-MEMBRO DA ACI – DA ALOMERCE E DA AOUVIR/CE

Autoria e outros dados (tags, etc)

por paivajornalista@blogs.sapo.pt às 10:56

Terça-feira, 23.06.09

...

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5350582064787189330" />

Autoria e outros dados (tags, etc)

por paivajornalista@blogs.sapo.pt às 10:50

Terça-feira, 23.06.09

ASSUNTOS ESPIRITUAIS

ASSUNTOS ESPIRITUAIS

Muitas pessoas pela sua materialidade obsessiva não acreditam em determinadas bens e dons dados por Deus a determinadas pessoas. As rezadeiras se revestem deste dom de Deus. Existe o “quebranto” já ouviram falar neste nome? Não! O “quebranto” e o “mau olhado” são choques de fluidos que se não identificam nem se harmonizam. Se entre os adultos há pessoas que se sentem mal ante o olhar de outras, é natural que as crianças sofram muito mais os efeitos de um olhar de poderosa influência magnética, consciente ou não. Na sua quase totalidade, os causadores desses incômodos às crianças ignoram por completo o mal que produzem. Vocês com certeza já ouviram algum falar: olha teu filho está com quebranto! É melhor chamar uma rezadora ou rezadeira. Normalmente são pessoas de idade que já praticam esta caridade há muito tempo.

O quebranto deixa a criança irritada, com sonolência, diarréia repentina, moleza no corpo ou chorando sem parar. Existem outras consequencias do famoso mal olhado ou quebranto. A rezadeira é convocada para o lar da criança e logo procura uma folha de pião roxo para começar a reza. Normalmente elas afirmam que três dias consecutivas são necessários para a cura. Começa a reza. Oração para cá e para lá e a criança começa a melhorar aos poucos o seu estado de saúde. Às vezes falam que o “quebranto” era tão grande que a folha de pião murchou com rapidez. A folha vai murchar com certeza, visto que foi tirada do local em que ela tinha vida e a conseqüência natural é murchar. Afolha é apenas um aparato e nada mais. O importante são as rezas e preces que combatem os fluidos negativos imantados no doente. As rezadeiras não cobram por seu trabalho, o que fortalece mais ainda a cura da criança. Vocês acreditam ou discordam?

Outro assunto que desperta atenção de muitas pessoas é o “pressentimento”, os senhores saberiam delinear qual o significado da palavra epigrafada. Pois é, o pressentimento um conselho íntimo e oculto de um Espírito que vos quer bem. Também está na intuição da escolha que se haja feito. É a voz do instinto. Antes de encarnar, tem o Espírito o conhecimento das fases principais de sua existência, isto é, do gênero das provas a que se submete. Tendo estas fases caráter assinalado, ele conversa, no seu foro íntimo, uma espécie, uma espécie de impressão de tais provas e esta impressão, que é a voz do instinto, fazendo-se ouvir quando lhe chega o momento de sofrê-las, se torna pressentimento. “O pressentimento é uma intuição vaga de coisas futuras. É um radiograma transmitido, ao presente, das regiões misteriosas do Porvir. O pressentimento é a vaga e confusa intuição do que vai acontecer. O pressentimento são recordações vagas e intuitivas do que o espírito aprendeu em seus momentos de libertação e algumas vezes avisos ocultos dados por espíritos benévolos.

Materialização – Os senhores já tomaram ciência do que seja materialização para o ser humano e qual a importância que ela tem para o ser hominal. “O termo materialização é comumente usado como sinônimo de ectoplasmia. Este, aliás, é o menos empregado. Na linguagem comum, predomina o uso da palavra materialização. Se nos ativemos à maior rigor científico-terminológico, diremos que só existe materialização quando o fenômeno ectoplasmático resulta em tangibilidade ou solidificação das formas. Podemos citar como exemplo as conotações que estão inseridas no livro do ABC ao Infinito – Espiritismo Experimental do confrade José Náufel. “Seria exemplo a materialização do Espírito Kate King, detalhamente estudada pelo grande e notável cientista inglês Sir William Crocks, durante os anos de 1870 e 1873, com o concurso da jovem médium Florence Cook. Ele desceu a todos os detalhes possíveis, realizando minucioso exame desse Espírito materializado: mediu-lhe a altura, verificou-lhe uma mancha; contava suas pulsações, verificou-lhes a cútis, e contextura dos cabelos, chegando a corta-lhe uma mecha; ascultava-lhe o peito, tocava-a e chegou mesmo a abraçá-la.


André Luiz, por sua vez, descreve, no Livro Missionário da Luz (psicografado por Francisco de Paula Cândido Xavier e editado pela Federação espírita Brasileira) (FEB), no capítulo 10, sob o título de materialização. Continuando nas nossas investidas espirituais vamos falar sobre a ectoplasmia que seria o termo mais apropriado para designar o fenômeno no sentido genérico, ou para tipificar os casos em que as formas perispíriticas, tornadas visíveis, não tenham materializado tangibilidade, isto é, não se tenham materializado, no sentido de se terem tornadas sólidas. Isto pode acontecer, visto que fica a critério do desencarnado pelo seu livre-arbítrio, mas a materialização normalmente começa na forma intangível para tempo depois ficar na forma tangível, onde pode ser tocada e até abraçada como no caso do espírito Kate King que chegou a ser abraçado pelo Sir William Crocks.


Psicometria o que seria? A Psicometria é a faculdade que possuem certos médiuns sensitivos de, ao contato direto ou à simples presença de um determinado objeto, ou mesmo de um fragmento mineral, vegetal ou animal, apreender psiquicamente a história da própria peça em si, como matéria, ou a história do seu possuidor ou de pessoas que estiveram relacionados como esse objeto, reconstituindo os respectivos ambientes, os fatos, pensamentos e sensações por elas vivenciadas no passado e no presente e, muitas vezes, prenunciando acontecimentos futuros que lhes dizem respeito. É uma longa e cansativa definição, mas queremos dizer que apesar destas nuanças a mesma ainda se encontra incompleta, pois poderíamos ir mais fundo para um entendimento mais seguro e confortável. Neurose – crise psicológica devido a um estado de desunião com o próprio ser, ou mais formalmente, uma dissociação moderada da personalidade, proveniente de distúrbios da ansiedade. Devem-se pesquisar possíveis obsessões espirituais além dos fatores psicológicos evidenciados.


Noctâmbulo, noctambulismo palavras derivadas do latim nox, noctis = à noite, e ambulare= (andar, marchar, passear). Aquele que marcha ou passeia durante a noite, dormindo; sinônimo de sonâmbulo. Esta última palavra é preferível, visto que noctâmbulo - noctambulismo não traduz de nenhuma maneira a ideia de sono. Niilismo – uma palavra de sinonímia esquisita, pois se refere à crença no nada, descrença absoluta; doutrina filosófica segundo a qual nada existe de absoluto; doutrina que prega a ausência da verdade moral e da hierarquia de valores. É uma doutrina insensata e anti-social, pois, seguramente o niilismo rompe os verdadeiros laços de solidariedade e fraternidade, em que se fundam as relações sociais. Pela crença do nada, o homem concentra todos os seus pensamentos na vida atual, o que o faz materialista e egoísta, tendo por princípio a intenção de levar vantagem em tudo. Pelo aspecto apresentado, pelas nuanças, pelos detalhes, pelos princípios fundamentais e pela conotação final o niilismo veio se juntar ao arcabouço da lei do Gérson. “Gosto de levar vantagem em tudo. Certo! Errado estimado Gérson.


ANTONIO PAIVA RODRIGUES-MEMBRO DA ACI-DA ALOMERCE E DA AOUVIR/CE

Autoria e outros dados (tags, etc)

por paivajornalista@blogs.sapo.pt às 10:48

Terça-feira, 23.06.09

...

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5350581172413849266" />

Autoria e outros dados (tags, etc)

por paivajornalista@blogs.sapo.pt às 10:46

Terça-feira, 23.06.09

EUTANÁSIA

EUTANÁSIA

Alguém sabe o significado desta palavra? Uns sim, outros não. A palavra epigrafada está em moda nos dias atuais e há quem queira regulamentar a sua prática. A curiosidade aumentou? Não! Sim ou talvez? Como toda palavra da nossa língua a eutanásia não poderia fugir à regra. Eutanásia nada mais é do que uma morte serena, sem sofrimento, mas sua prática no Brasil, não tem amparo legal, mesmo sendo uma atitude que vise abreviar, sem dor ou sofrimento, a vida de um doente reconhecidamente incurável. Embora o étimo grego (derivação grega étymon, e do latim etymon-Vocábulo que constitui a origem de outro), venha a postular a “eutanasia”, mas seu uso consagrou “eutanásia” no português do Brasil. Sabias? O primeiro País a regularizar a eutanásia, como nação foi à Holanda, aliás, neste país muitas nuanças proibidas em outras nações, lá são legais.

Alguns costumam chamar de morte digna. Na realidade a eutanásia é a prática, sem amparo legal como afirmamos antes, pela qual se busca abreviar, sem sofrimento, sem dor, a vida de um paciente com doença reconhecidamente incurável. Mesmo através deste diapasão não temos o direito de tirar a vida de ninguém, mesmo nas condições contadas, pois seremos considerados criminosos por lei, e estaremos sujeitos a sanções previstas no Código Penal brasileiro. A desculpa para esta prática geralmente é proporcionar uma morte serena e sem sofrimento ao enfermo, mas a Doutrina Espírita a condena, pois que mesmo estando o corpo a sofrer, o Espírito aprende, reconsidera, reformula, medita, resgata velhas dívidas com a Lei. (Dicionário de Filosofia Espírita de L.Palhano Jr). Cada um deve partir do mundo no momento exato do término de suas provas e expiações, a abreviação delas pode causar ao Espírito transtornos de difícil reposição. É condenável aquele que pratica a eutanásia. Mesmo com a regulamentação humana através de Projetos de Leis, o ser hominal que a pratica estará amparado, mas não se eximirá de culpa quando adentrar ao mundo espiritual.

Pegando um gancho no livro de Bioética (Uma contribuição Espírita) de Francisco Cajazeiras, no capítulo 03 – Anatomia da Eutanásia Legalizada, pag. 24 extraímos o seguinte detalhe: “Em novembro de 1997, o jornalista Brian Eads publicou matéria na conceituada revista “Seleções (Reader’s Digest)”, em que abordava a eutanásia naquele país (Holanda). Ali, vamos encontrar os seguintes dados estatísticos: Eutanásia Voluntária 3.600 casos/ Eutanásia Involuntária (Aumento da dose de medicamentos pelos médicos) 1.900 casos/ Não classificados como Eutanásia ou Auxílio ao Suicídio 900 casos/Recém – nascidos incapacitados 15 casos. Some-se a esta estatística 40% das desencarnações dos pacientes mentalmente incapacitados, acontecerem após a decisão de seus médicos em suspender seu tratamento, aumentar a dose de drogas analgésicas ou mesmo administra-lhes substância letal. Queremos afirmar que o livro em alusão é muito bom e traz assuntos polêmicos da atualidade. Recomendamos a leitura.

O paciente pode ficar as expensas do médico e também de sua lealdade, mas diante da estatística supracitada, o risco que corre o paciente é muito grande, visto que a imperfeição não tem nacionalidade, nem pátria especifica. Ainda que haja chegado ao último extremo um moribundo, ninguém pode afirmar com segurança que haja soado a hora derradeira. A ciência não se terá enganado em suas previsões? Sabemos existir casos que se podem, com razão, considerarem desesperadores; mas se não há nenhuma esperança fundada de um regresso definitivo a vida e à saúde, existe a possibilidade, atestada por inúmeros exemplos, de doente, no momento mesmo de exalar o último suspiro, reanimar-se e recobrar por alguns instantes as faculdades! Diante deste fato, essa hora de graça, que lhe é concedida, pode ser-lhe de grande importância. Desconheceis as reflexões que o espírito poderá fazer nas convulsões de agonia e quantos tormentos lhe podem poupar um relâmpago de arrependimento. (Espiritismo de (A) a (Z).

O Espiritismo desde os tempos de antanho vem estudando estes casos polêmicos e de difícil definição, pois o Espírito é o controlador substancial da Matéria a que a ele pertence neste mundo material. Depois da estagnação biológica começa o desprendimento do Perispírito e pode ser lento ou mais rápido, dependo de vários fatores espirituais. A pressa sendo a inimiga da imperfeição, pode levar o Espírito a um estado de perturbação provocando transtornos sem proporções durante a sua liberação do corpo físico. A eutanásia em suma, é sempre uma forma de homicídio, pelo qual seus autores responderão no porvir, em grau compatível com as suas causas determinantes. Aqui estará sob as penas da lei humana e lá sob as sanções espirituais. O homem não tem direito de praticar a eutanásia, em caso algum, ainda que a mesma seja a demonstração aparente de medida benfazeja.

A agonia prolongada pode ter finalidade preciosa para a alma e a moléstia incurável pode ser um bem, como uma válvula de escoamento das imperfeições do Espírito em marcha para a sublime aquisição de seus patrimônios da vida imortal. Além do mais, os desígnios divinos são insondáveis e a ciência precária dos homens não pode decidir nos problemas transcendentes das necessidades do Espírito, pois somente ele pode tomar a decisão final e para isso o Espírito está em constante evolução e as reencarnações sucessivas são o único caminho para torná-lo ou dotá-lo desse poder de evoluir, visto que o Espírito não retrograda. A morte física não é o fim. É pura mudança de capítulo no livro da evolução e do aperfeiçoamento. Morrer é renascer, volver a matéria à sua verdadeira pátria, que é a espiritual. É o começo de outra vida mais feliz. Poderíamos citar inúmeras sinonímias para a morte, mas não haveria necessidade, visto que a morte é a transformação, segundo os desígnios de Deus, mas sempre útil ao fim que Ele se propõe. Antes a morte física só completava seu ciclo após a válvula propulsora ter deixado de bater. Hoje as coisas mudaram, com a “morte cerebral”, mesmo com o coração batendo os órgãos são doados com autorização da família é claro, mas como o ser humano é infalível quem pode garantir que aquele corpo com o coração batendo e sem sinais de vida cerebral a morte tenha se concretizado.

Os erros médicos estão aí e nenhum ser humano independente da profissão que exerce pode ser infalível. Nós consideramos a morte cerebral uma precipitação médica, pois enquanto existir um átomo que esteja ligado ao perispírito à morte não se consumou. A extinção da vida orgânica acarreta a separação da alma em consequência do rompimento do laço fluídico que a une o corpo, mas essa separação nunca é brusca. O fluido perispiritual só pouco a pouco se desprende de todos os órgãos, de sorte que a separação só é completa e absoluta quando não mais reste um átomo do perispírito ligado a uma molécula do corpo. Se a válvula propulsora bate sempre haverá uma esperança, mesmo que mínima. Um caso muito polêmico sobre a morte está narrado na Bíblia onde Lázaro é dado como morto e sepultado, mas Lázaro não estava morto, apenas dormia como disse o Mestre Jesus, pois estava acometido de um estado grave de letargia. Neste estado pode levar um profissional de medicina a dar um diagnóstico precipitado.

Normalmente os médicos não conseguem decifrar se o corpo tem vida ou se a morte se concretizou. Existem casos de letargia que as extremidades começam a necrosar causando mau cheiro como aconteceu a Lázaro quando Jesus mandou abrir o túmulo. Um assunto que poderemos debater a posterióri é sobre a clonagem. Já que se pensa em clonar o ser humano, mas de bom alvitre seria que os cientistas conseguissem clonar órgãos, aí então esta celeuma da doação acabaria com final “feliz”. Convém salientar que muitas famílias durante a exumação de cadáveres para dar espaço no túmulo para outro ser sepultado, a pasmacidade toma conta dos presentes, visto que o corpo foi sepultado numa posição e no decorrer da exumação os restos mortais estão em posição diferente. O que dizer quando estes casos acontecem? Pensem Nisso!

ANTONIO PAIVA RODRIGUES-MEMBRO DA ACI – DA ALOMERCE E DA AOUVIR/CE

Autoria e outros dados (tags, etc)

por paivajornalista@blogs.sapo.pt às 10:45

Terça-feira, 23.06.09

...

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5350580522277932018" />

Autoria e outros dados (tags, etc)

por paivajornalista@blogs.sapo.pt às 10:43

Terça-feira, 23.06.09

...

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5350579864380417394" />

Autoria e outros dados (tags, etc)

por paivajornalista@blogs.sapo.pt às 10:42

Terça-feira, 23.06.09

JORNAL O POVO NOTIFICA NOVA DOENÇA

JORNAL O POVO NOTIFICA NOVA DOENÇA

O grande Paulo Freire em seu livro “Pedagogia da Autonomia” diz: “A reflexão crítica sobre a prática se torna uma exigência da relação Teoria/Prática sem a qual a teoria pode ir virando blábláblá e a prática, o ativismo”. Quem ensina aprende ao ensinar e quem aprende ensina ao aprender. Quem ensina, ensina alguma coisa a alguém. Inteligentíssima as afirmações do grande pedagogo que fala dos saberes e diz que estes são necessários à prática educativa. Concordância em gênero, número e grau. Na filosofia o ativismo refere-se à doutrina que faz da atividade a essência da realidade; atualismo. A doutrina que admite algum tipo de oposição entre a ação e os domínios diversos do conhecimento, e que dá primazia à ação, primazia que comporta diferentes graus e definições, conforme acepções de naturalismo, humanismo e pragmatismo (As doutrinas de C. S. Peirce, W. James, J. Dewey e do literato alemão Friedrich J. C. Schiller (1759-1805), cuja tese fundamental é que a verdade de uma doutrina consiste no fato de que ela seja útil e propicie alguma espécie de êxito ou satisfação).

Na literatura é um estilo impressionista em que se empregam os gêneros literários para propaganda de ideias políticas e as famigeradas militâncias políticas. O dom pessoal é saber receber críticas construtivas e não somente elogios. Muitas instituições midiáticas não aceitam que leitores mais exigentes mostrem erros que muitas das vezes acontecem com naturalidade, visto que nenhum ser humano tem a intenção do erro proposital. Citada mídia foi alertada sobre um erro de grafia “EMBRIAGUÊS” e foi notificada sobre a correta EMBRIAGUEZ. O responsável pela redação não deu a mínima para o leitor assinante e colaborador do matutino cujo nome está citado no título da matéria.

Citamos como exemplo uma matéria intitulada de CASUAL OU CAUSAL de nossa autoria. Fizemos o nosso relato e encaminhamos ao setor competente da mídia epigrafada. Dissemos o seguinte: “Por diversas vezes somos criticados quando erramos. Diz o jargão popular que: “errar é humano”, mas podemos acrescentar uma variante para este clichê: “depende do erro”. Um dos maiores escritores brasileiros de antanho, Monteiro Lobato afirmava que: “A luta contra o erro tipográfico tem algo de homérico. Durante a revisão, os erros se escondem , fazem-se invisíveis. Mas, assim que o livro ou artigo saem ou são publicados, tornam-se visibilíssimos, verdadeiros sacis vermelhos a nos botar a língua e os olhos em todas as páginas. Trata-se de um fenômeno que a ciência não conseguiu decifrar”.


Existe um profissional conhecido como Copy Desk, ele é o homem chave para qualquer empresa jornalística e para quem trabalha com mídia escrita. Profissional responsável pela correção de textos em meios de comunicação escrita. A sua tarefa é detectar e corrigir gralhas e erros gramaticais e lexicais nas peças e outras escritas. Na página 10 do grande jornal o Povo, do qual sou assinante, uma palavra me chamou a atenção e faz parte de uma matéria envolvendo policiais. No quadro ‘E Mais’ vemos a palavra embriaguês, no entanto a maneira correta é embriaguez.

Temos outras, mas não citaremos por questão de ética. Um jornal da qualidade do Povo não pode se dá ao luxo de cometer tantas gafes, mas cremos que os deslizes cometidos, são com o intuito de acertar. A mídia que se preza não pode discriminar o colaborador só por questões de críticas construtivas, ao comentar alguns erros encontrados no determinado jornal (O Povo). Publicar só elogios é água com açúcar qualquer ser vivente pode beber sem medo.

Caros amigos do jornal o Povo de Fortaleza, recebemos comunicados de que determinadas matérias não são publicadas por extensão do conteúdo. Quando o leitor colaborar é uma pessoa simples a importância da matéria não é levada em conta, mas se artigos partirem de autoridades conhecidas é bem provável que o jornal publique página inteira. Pensem nisso! Afinal todos nós erramos. Como dissemos em nossos reclamos, não nos deram ouvidos e por esta razão queremos anunciar que uma ‘nova doença’ foi descoberta pela mídia em alusão. “Dia 5 de junho de 2009, na página de esportes ao anunciar a morte do ex-atleta Lúcio Sabiá o jornal se referiu a doença que causou a estagnação biológica do atleta. Lúcio Sabiá zagueiro que marcou época no futebol cearense e potiguar, Lúcio Lones Alves de Sousa, o Lúcio Sabiá, 54, morreu na manhã de ontem, na Santa Casa de Misericórdia, após ser internado na última segunda-feira com trombose.

“Trombose palavra de derivação grega thrombósis, 'coagulação', sua patologia refere-se à coagulação do sangue processada, durante a vida, dentro do aparelho circulatório e em extensão e localização variáveis. Continua a matéria..., segundo o amigo Expedito Neto, ex-atacante do Tiradentes, o zagueiro sofria de “SIRROSE”. Pelo que aprendemos nos bancos escolares a palavra escreve-se com C e não com S como está no jornal. O correto seria CIRROSE, patologia médica que corresponde à inflamação intersticial crônica de qualquer órgão, doença crônica do fígado, da qual existem alguns tipos, caracterizada pela associação de lesão dos hepatócitos, desenvolvimento excessivo de tecido conjuntivo e formação de nódulos de regeneração, cirrose hepática.

Queremos lembrar aos que fazem este grande jornal que o leitor quer sempre o bem da mídia escolhida como preferencial para sua leitura, mas às vezes o leitor-colaborador se sente magoado por ter sua matéria preterida por outra e o motivo muitas das vezes não condiz com a realidade. Não existem maldades em nossas conotações e sim um alerta para que O Povo se torne cada vez mais uma mídia forte e de qualidade insofismável. E além do mais, por ter sido aprovado na Câmara Municipal de Fortaleza requerimento de autoria do vereador Adail Fernandes Vieira Júnior solicitando o registro nos Anais desta Casa Legislativa do Editorial publicado no O POVO intitulado: “Vacina contra o erro”, publicado na edição do dia 13 de maio último. (Vereador Marcus Teixeira – Primeiro Secretário). Indagamos novamente se a vacina já está surtindo o efeito desejado? Pensem nisso!

ANTONIO PAIVA RODRIGUES-MEMBRO DA ACI E ALOMERCE

Autoria e outros dados (tags, etc)

por paivajornalista@blogs.sapo.pt às 10:42

Terça-feira, 23.06.09

METEMPSICOSE

METEMPSICOSE

O que poderíamos definir como metempsicose? Na expressão mais escorreita, poderemos dizer que é uma palavra que tem derivação grega metempswchosis, e do latim metempsychose, e encontra na filosofia seu significado mais específico. Doutrina segundo a qual, uma mesma alma pode animar sucessivamente corpos diversos, homens, animais ou vegetais; transmigração. A sinonímia de transmigração é aquela que está relacionada à transmissão do pensamento, que muitos chamam de telepatia. Os gregos de antanho pensavam assim, mas como o Espírito tem a função de evoluir e não de retrogradar esta definição ficou praticamente sem sentido, pois o homem dotado de inteligência, do livre-arbítrio e do instinto, jamais iria reencarnar na forma metempsicosiana. Seria uma distorção total do que se estudou e aprendeu nos dias atuais. Já pensaram na possibilidade de um Espírito Puro como Jesus Cristo ter vindo a Terra na forma de um animal irracional? Seria até um ato blasfêmico e inaceitável.


Em corpos diversos, animais e vegetais seria uma grande aberração. Mas, na realidade o povo da antiguidade pensava desta maneira. A palavra reencarnação é tão antiga que mesmo antes de Cristo, os egípcios, os gregos, os indianos, os chineses e outros povos admitiam. A palavra ressurreição só apareceu nos velhos e surrados concílios da Igreja Católica, muito tempo depois de Cristo, em Constantinopla. A palavra do reino quer dizer: “Os ensinamentos dados por Jesus para que os homens aprendessem a merecer o Reino dos Céus”. As palavras da Vida Eterna retêm contigo estas palavras, porque são santificadoras do espírito, na experiência de cada dia, e, sobretudo, o nosso seguro apoio mental nas horas difíceis das grandes renovações. Vejam o que o Panteísmo afirma: “O panteísmo, propriamente dito, considera o princípio universal da vida e de inteligência como constituído de Divindade. Deus é - concomitantemente Espírito e matéria; todos os seres, todos os corpos da Natureza compõem a Divindade, da qual são as moléculas e os elementos constitutivos.


Deus é o conjunto de todas as inteligências reunidas, cada indivíduo, sendo uma parte do todo, é Deus ele próprio; nenhum ser superior e independente rege o conjunto, o Universo é uma imensa república sem chefe, ou antes, onde cada qual é chefe com poder absoluto. Os senhores concordariam com este pensamento da doutrina panteísta? A filosofia diz que é a doutrina segundo a qual só Deus é real e o mundo é um conjunto de manifestações ou emanações, ao mesmo tempo define como doutrina segundo a qual só o mundo é real, sendo Deus a soma de tudo quanto existe. Os Espíritos são fragmentos de Deus e que a Ele se reintegram, neste caso não haveria a individualidade, pois todas as coisas seriam como partes da mesma Divindade.


Voltando a metempsicose poderíamos afirmar ser verdadeira, se indicasse a progressão da alma, passando de um estado inferior a outro superior, onde adquirisse desenvolvimento, que lhe transformasse a natureza. É, porém, falsa no sentido de transmigração direta da alma animal para o hominal e reciprocamente. Neste caso implicaria na total ideia de uma retrogradação, ou de fusão. Mas já se sabe que o Espírito evolui e não retrograda. A evolução do Espírito é concebida através das reencarnações sucessivas. A unidade de pensamento hominal é de bastante valia, visto que quando Jesus afirmava através de suas parábolas de que “Meu Pai e eu somos um”, “nada mais era do que figurativo, devido à finalidade da expressão ter o sentido de exprimir a unidade de pensamento que existia, pela afinidade fluídica, pelo amor, pela pureza, entre Deus e o Cristo”. Pode até parecer história sem pé e sem cabeça se afirmarmos que Cristo já existia em Espírito e ao encarnar na Terra teria recebido esta denominação. Mas é pura realidade. Os dicionários hoje dizem que a palavra Cristo como muitas outras deriva do latim Christu e do grego Christós, 'o que foi ungido'. Redentor, Messias.


Cristo, também era definido como a pedra angular que deveria vir. Se ele deveria vir já existia em Espírito e era tão evoluído que sempre estava acompanhado de uma plêiade muito grande de espíritos Superiores. Cristo é o sol espiritual de nossos destinos. Ao encarnar na Terra recebeu o nome de Jesus e como não existia o sobre nome os nascidos adotariam a cidade em que vieram ao mundo, Jesus de Nazaré. O nome Jesus quer dizer ou indica espanto, dor, surpresa, admiração. A metempsicose na opinião de nossos antepassados não passava de uma teoria que afirmava mediante a qual os Espíritos que se não mantiveram com equidade e nobreza na Terra a ela retornava como animais inferiores. As pesquisas são de enormes valores para os escritores, para alunos, acadêmicos, doutores, jornalistas e para todas as pessoas que querem adquirir conhecimentos e aquelas sedentas do saber ou sabedoria. Sempre existiu e continuará existindo, visto que o mundo é grande e a psicosfera do bem saber não tem tamanho nem dimensões, é infinita. É de bom alvitre que contamos com a ajuda amiga do livro Espiritismo de (A) a (Z) e do dicionário de Filosofia Espírita de L. Palhano JR, na qual agradecemos.


Metempsicose que é o assunto principal da nossa conversa é a Doutrina amiga da reencarnação que preconizava a transmigração da alma humana para os animais e dos animais para o homem, para não dizer vice-versa. Na doutrina moderna da reencarnação, os Espíritos rejeitam de maneira absoluta tal transmigração, porque ofende frontalmente ou vai de encontro à lei de evolução e do progresso, pois, uma vez que o Espírito avança em suas aquisições evolutivas, não mais retroage. Palingenesia palavra que vem do grego como muita daí a importância que a Grécia tem para a formação cultural do mundo. Do grego palingenesía, e do latim a posterióri palingenesia assumindo papel filosófico de eterno retorno e segundo Schopenhauer o renascimento sucessivo dos mesmos indivíduos. Já a reencarnação está ligada a todas as religiões antigas, cada qual com sua versão, a reencarnação vem a ser elevada à condição de Lei Universal pelo Espiritismo ou Doutrina Espírita, como condição sine qua non para a evolução de todos os seres viventes. Trata-se da doutrina da pluralidade das existências corpóreas, do renascimento, das muitas vidas corpóreas sucessivas que um Espírito necessita para aprender e aperfeiçoar-se, tanto na Terra como em outros planetas habitados do Universo. Pensem Nisso!

ANTONIO PAIVA RODRIGUES-MEMBRO DA ACI-DA ALOMERCE E DA AOUVIR/CE

Autoria e outros dados (tags, etc)

por paivajornalista@blogs.sapo.pt às 10:40



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Junho 2009

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930