Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

PAIVAJORNALISTA

Esse blog tem uma finalidade muito importante, isto é, levar aos conhecimentos dos leitores e amigos os mais diversos assuntos relacionados com o nosso dia a dia. Crônicas, Artigos, Poemas, Poesias, Atualidades, Política entre outros.



Terça-feira, 18.12.12

E O OUTRO LADO SENHORES NADA FEZ?



E O OUTRO LADO SENHORES NADA FEZ?

“Todos os bons caminhos levam a Deus. Mas, se procurar os maus, certamente irá encontrar outras estradas, porque é mais fácil e “cômodo” viver nas sobras do que na luz. No entanto, essa é uma ilusão do mundo, pois é melhor sofrer aqui, entre as dificuldades, seguindo o reto caminho, do que sofrer depois da morte, por tempo indeterminado”. (Valdemar P. Barbosa).

Essa comissão criada para averiguar supostas torturas praticadas durante o regime militar, nada tem haver com a verdade. O que é a verdade? Onde está a verdade? A verdade está aí para todo mundo ver e sentir. As malditas e deletérias corrupções, formações de quadrilhas, lavagens de dinheiro, impunidades, roubos homéricos que se arrastam há anos e, somente agora, vemos alguém sendo punido. A verdade é a mentira pregada pelo Partido dos Trabalhadores (PT), o protecionismo, o assistencialismo exacerbado, que teve uma diretriz formalizada, consubstanciada pelo partido epigrafado, que meteu com todo gás, as mãos nos cofres públicos e transformaram o governo numa verdadeira casa de mãe Joana.

Quantos membros do PT se beneficiaram de maneira ilícita e aumentaram seus patrimônios subtraindo de maneira vil e covarde os cofres da União? Quase todos. E ainda falam em Comissão da Verdade. A verdade todo mundo sabe. O jornalista Rodrigo Cardoso da Revista “Isto É” que assina a matéria cujo título é: “Documentos Secretos da Ditadura”, talvez tenha embarcado na mesma nau do Partido dos Trabalhadores com mala e cuia. Segundo “Isto É” teve acesso a arquivos que foram escondidos por um delegado do DOPS. Os papéis abrem uma nova linha de investigação, para a Comissão da Verdade e, mostram como agentes da repressão tentaram sumir com as provas dos Anos de Chumbo. Existem anomalias na mídia brasileira, aquelas que ficam em cima do muro e para onde pender elas vão com toda garra e força. Senhor Rodrigo Cardoso do outro lado só tem anjos e santos? Queremos saber da sua boca e com nitidez da mídia “Isto É” que em seus artigos, mostra o amor exagerado que tem pelo PT e seus cupinchas.  “Torturado e preso nos Anos de Chumbo, o professor universitário Djalma de Carvalho, 63 anos, reencontrou seu passado nos documentos achados na fazenda do delegado Machado”. O professor não seria mais um candidato a receber gorda recompensa financeira e ainda pensão vitalícia? Na realidade houve uma guerra, visto que o outro lado queria implantar no Brasil a revolução comunista e socialista, no entanto, não tinham a experiência que os militares têm e foram fragorosamente derrotados.

Os que sofreram torturas e foram assassinados, o número é bem maior do lado, o dos militares. Ninguém, nem familiares foram ao governo exigir indenização e pensão vitalícia. Continua sua narração Rodrigo Cardoso, no total foram descobertas ali 110 fichas de pessoas tachadas de subversivas. E mais: boletins culturais censurados, um manual de subversão e contrassubversão que ensinava policiais a identificar os comunistas. O distinto jornalista queria que os órgãos de seguranças ficassem de braços cruzados com flores nas mãos, para presentear comunistas? Durma-se com tanto barulho.

Será que o outro lado era composto só por coitadinhos e miseráveis? Eles estão aí botando as unhas de fora e subtraindo a riqueza da nação em proveito próprio. Será que o Supremo Tribunal Federal também está sendo injusto com os comunistas? Regates – buscas na fazenda do delegado do Dops Tácito Machado, em Jaborandi, onde um ex-cortador de cana encontrou centenas de documentos da repressão. Com isso, desde as fichas encontradas, agora reveladas pela “Isto É”, outros três conjunto de materiais chegaram ao órgão. Dois são emblemáticos. De Santos, em 2010, vieram 11,6 mil prontuários e aproximadamente 40 mil fichas produzidas por uma sucursal do Dops que atuava no litoral paulista. E em maio, 14 pacotes de documentos chegaram da cidade paulista de Apial.

Filha de comunistas, Rute Maia Beviláqua, 66 anos, foi um dos 800 estudantes presos por autoridades do governo no Conjunto Residencial da Universidade de São Paulo (Crusp). Agora notem: o cabo Sylas Bispo Feche, integrava uma Equipe de Busca e Apreensão do DOI/CODI/II Exército. Sua equipe executava uma ronda, quando um carro VW, ocupado por duas pessoas, cruzou um sinal fechado quase atropelando uma senhora que atravessava a rua com uma criança no colo. A sua equipe saiu em perseguição ao carro suspeito, que foi interceptado. Ao tentar aproximar-se para pedir os documentos dos dois ocupantes do veículo, o cabo Feche foi, covardemente, metralhado por eles. Foi travado um tiroteio entre a equipe e os dois terroristas que também morreram no local. (grifo nosso).

Os assassinos do - cabo Feche – ambos - membros da Ação Libertadora Nacional (ALN) são: Gelson Reicher "Marcos" que usava identidade falsa com o nome de Emiliano Sessa era chefe de um Grupo Tático Armado (GTA) e já tinha praticado mais de vinte atos terroristas, inclusive o sequestro de um médico. Alex Paula Xavier Pereira "Miguel", que usava identidade falsa com o nome de João Maria de Freitas, fez curso de guerrilha em Cuba e praticou mais de quarenta atos terroristas, inclusive atentados a bomba na cidade do Rio de Janeiro. Um dos fatos que a revista jamais comentará.

Continua a matéria: Dentro do baú, encontrado em 2007, há fragmentos de histórias como a do professor universitário Djalma de Carvalho, mas não cita que em 18/01/72 - Tomaz Paulino de Almeida Sargento PM - São Paulo - SP Morto, a tiros de metralhadora, no bairro Cambuci, quando um grupo terrorista roubava o seu carro. Autores do assassinato: João Carlos Cavalcante Reis, Lauriberto José Reyes e Márcio Beck Machado, todos integrantes do Movimento de Libertação Nacional (Molipo). Beatriz Paiva mostra parte dos documentos sobre seu pai, Rubens Paiva, desaparecido em 1971, encontrados em Porto Alegre, mas não cita o seguinte: Em “02/09/71 - Jayme Cardenio Dolce Guarda de segurança – RJ”. Assassinado pelos terroristas: Flávio Augusto Neves Leão Salles, Hélio Pereira Fortes, Antônio Carlos Nogueira Cabral, Aurora Maria do Nascimento Furtado, Sônia Hipólito e Isis Dias de Oliveira, durante assalto à Casa de Saúde Dr. Eiras. Segundo constata a Revista Veja, a esquerda alega ter iniciado as guerrilhas como reação ao AI-5. Segundo Reinaldo Azevedo, jornalista da revista, dezenove brasileiros foram mortos por guerrilheiros antes ter sido baixado o AI-5. Entre eles, estava o soldado Mário Kozel Filho morto em junho de 1968 em ação da VPR, e os mortos do Atentado do Aeroporto dos Guararapes, supostamente por ação da Ação Popular (esquerda cristã), em 1966 ( grifo nosso)..

Concomitantemente a uma tímida abertura política, no governo Geisel, na mesma época em que a "resistência democrática" do MDB saía vitoriosa nas eleições de 15 de novembro de 1974 fazendo 16 das 21 cadeiras de senador em disputa, as guerrilhas acabaram perdendo força. Isso também se deveu a operações repressivas governamentais que visavam eliminar a oposição (fosse armada, ou não armada que apoiasse a guerrilha), e que ocasionou o fim da Guerrilha do Araguaia, ocorrido entre 1973 e 1974. Em entrevista à revista IstoÉ, concedida no ano de 2004, um general afirmou que, concluiu-se em 1973 que "ou se matava todo mundo ou essas guerrilhas nunca mais teriam fim”. Vejam o absurdo: 474 pessoas foram indenizadas e o governo gastou  4 bilhões de reais e ainda querem uma malfadada “Comissão da Verdade”. As famílias dos militares mortos em combate nada receberam.

Violência: o aposentado Edson José de Senna foi preso e torturado aos 32 anos, em 1969, porque recebia o jornal “O Berro”, o veículo de comunicação das Forças Armadas de Libertação Nacional(Faln) constante da revista “Isto é”. Esqueceu o jornalista Rodrigo Cardoso de citar o seguinte fato:  No dia 06/12/67, a lancha da Marinha Mercante "Antônio Alberto" foi atacada por um grupo de nove terroristas, liderados     por Ricardo Alberto Aguado Gomes "Dr. “Ramon”, o qual, posteriormente, ingressou na Ação Libertadora Nacional (ALN). Neste ataque Agostinho Ferreira Lima foi ferido gravemente, vindo a falecer no dia 10/01/68. (Grifo nosso).

Como se denota muita gente viu o galo cantar e sabe onde. Se duas Forças Armadas entraram em confronto para defender seus ideais, a mais bem preparada saiu vitoriosa. Forças Armadas de Libertação Nacional(Faln) foi fragorosamente derrotada e matou muita gente, inclusive inocentes, no entanto, os esquerdistas ainda defendem esses antidemocráticos e ainda falam em “Comissão da Verdade”. Pode Freud. Vamos abrir os arquivos secretos dos terroristas e ver o mar de sangue que rolou. Como diz o dito popular, macaco nunca olha para o seu rabo. Discipline os seus pensamentos. Não deixe que les vagueiem peço pântano do pessimismo, nem que se detenha nas sombras da maldade. Pense nisso!

ANTONIO PAIVA RODRIGUES-MEMBRO DA ACI- DA ACE- DA UBT- DA AVSPE- DA AOUVIRCE- DO PORTAL CEN- DA ALOMERCE.




                                                                                    

Autoria e outros dados (tags, etc)

por paivajornalista@blogs.sapo.pt às 13:00


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Dezembro 2012

D S T Q Q S S
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031